Divulgação/CBTKD
Divulgação/CBTKD

Atletas chiam, mas Anderson Silva quer tentar vaga olímpica

Lutadores consideram participação de 'Spider' nas seletivas injusta

Nathalia Garcia e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

18 de abril de 2015 | 17h00

A Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) ainda definirá como será feita a seletiva para os Jogos na categoria pesado, mas a presença do ídolo do UFC está provocando reações dos lutadores. Guilherme Felix, que é favorito à vaga, reclamou pesado pelas redes sociais e disse que essa história é "motivo de piada". Anderson Silva, também pelas redes sociais, preferiu não polemizar e disse apenas que está "em um outro nível", abaixo dos adversários, mas que vai tentar.

Já Diogo Silva, um dos principais expoentes da modalidade nos últimos anos, mostrou um certo incômodo. "Ele conseguiu ser esse expoente no esporte mundial com muita dedicação e suor, e isso deve ser respeitado. Se ele tivesse tomado essa decisão dois anos atrás não só teria mais chances da vaga como seria mais justo. É ruim para um atleta que está sonhando com os Jogos e se dedicando ao esporte ver esse movimento em cima da hora", lamenta.

Para o atleta, que representou o País nas Olimpíadas de 2004 e 2012, essa situação evidencia a fragilidade do Brasil em termos de planejamento olímpico no tae kwon do. "Falo isso pelo esporte, não pelo Anderson. Mas é inimaginável que um atleta de 40 anos entre para disputar uma seletiva olímpica sem estar competindo a nível mundial na modalidade nos últimos anos", comenta.

Para não fazer feio, o Spider vem treinando tae kwon do e contará com o acompanhamento do médico Marcio Tannure. O lutador ainda aguarda a finalização do processo de doping pela Comissão Atlética do Estado de Nevada. "As pessoas foram duras e ele foi condenado antes de ir a julgamento. A história do doping vai ser esclarecida, e não podemos falar sobre o assunto ainda. O próprio Anderson não entende o que aconteceu e vamos respeitar o planejamento da parte jurídica", explica Marcelo Magalhães, empresário do atleta do UFC.

Carlos Fernandes, presidente da CBTKD, lembra que o processo de doping não deve interferir nos Jogos Olímpicos. "Não tem nada provado contra ele, que ainda vai para julgamento. A gente está estudando também esse doping, por enquanto não temos nenhuma notícia de que seja um problema aqui e para os Jogos Olímpicos. O problema dele foi em Nevada, ele pode lutar na Flórida. Se ele pegar algum gancho, acho que será naquele estado", diz.

O dirigente explica que o formato da seletiva para a categoria acima de 80 kg, que o Brasil já tem vaga garantida nos Jogos, ainda será definido. A disputa será apenas no próximo ano e com isso Anderson terá tempo para se preparar. "Não existe privilégio, não queremos tirar um atleta para colocar ele. Está tendo muito ciúme, claro. Tem gente se manifestando achando isso o máximo, outros reclamando. É o tipo da guerra sadia e o Anderson está acostumado a lidar com isso", conclui Fernandes, lembrando que o Spider precisará se adequar às regras. "Ele precisa usar a inteligência, é isso que o tae kwon do de rendimento pede. Ele tem de pontuar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.