Boxeador russo perde medalha do Rio-2016 após ser pego no doping

Mikhail Aloyan realizou teste após perder final olímpica da categoria até 52kg

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2016 | 17h00

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), responsável por julgar casos de doping relacionados aos Jogos Olímpicos do Rio, decidiu nesta quinta-feira pela retirada dos resultados de dois atletas flagrados em exame antidoping em agosto, ambos medalhistas: o halterofilista romeno Gabriel Sincraian e o boxeador russo Mikhail Aloyan.

O resultado positivo de Sincraian para testosterona exógena foi divulgado ainda em agosto, após o encerramento dos Jogos. Bronze da categoria até 85kg, ele perderá a medalha, que será herdada por Denis Ulanov, do Casaquistão.

Já o doping de Mikhail Aloyan ainda não havia sido revelado. Medalhista de prata na categoria até 52kg, ele testou positivo para um estimulante proibido, em exame colhido após a final, quando perdeu para Shakhobidin Zoirov, do Usbequistão.

Aloyan, bronze nos Jogos de Londres, em 2012, nesta mesma categoria, e bicampeão mundial em 2011 e 2013, chegou a correr o risco de não estar no Rio-2016. A Associação Internacional de Boxe Amador (Aiba), porém, autorizou a participação dos 10 boxeadores russos inscritos, alegando que nenhum deles tinha histórico de doping.

Com a desclassificação de Aloyan, quem deve herdar a medalha de prata é Hu Jianguan, da China, vencido por ele na semifinal. Já Ceiber Ávila, da Colômbia, batido nas quartas de final, ficaria com o bronze. Essa decisão, porém, será tomada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.