Divulgação/IJF
Divulgação/IJF

Brasil passa em branco por mais um dia e fecha Grand Slam de Judô com 3 pódios

Seleção nacional, no entanto, termina na 2ª posição na classificação geral

Redação, Estadão Conteúdo

12 de maio de 2019 | 22h58

Depois de brilhar na sexta-feira do Grand Slam de Baku, onde Felipe Kitadai e Rafaela Silva subiram ao topo do pódio de suas categorias e Larissa Pimenta faturou um bronze, o judô do Brasil passou em branco pelo segundo dia consecutivo e acabou fechando a competição no Azerbaijão com três pódios mesmo.

Neste domingo, a bicampeã mundial Mayra Aguiar, da categoria 78kg, Maria Suelen Altheman (+78kg), Rafael Macedo (90kg) e Rafael Buzacarini (100kg) não conseguiram avançar para as disputas por medalhas. O mesmo já havia ocorrido no sábado, quando David Lima (73kg), Eduardo Yudy (81kg), Ketleyn Quadros (63kg) e Ellen Santana (70kg) caíram ainda nas preliminares.

Apesar disso, o Brasil terminou o Grand Slam de Baku na segunda posição na classificação geral de países, ficando atrás apenas do campeão Japão, que conquistou duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze em sua campanha.

A meio-pesado Mayra Aguiar era forte esperança de pódio para o País neste domingo e abriu a sua participação com vitória sobre a polonesa Beata Pacut, mas em seguida foi derrotada pela alemã Luise Malzahn. O revés a obrigou a disputar na repescagem, fase em que acabou sendo eliminada pela japonesa Shori Hamada e terminou em 7º lugar.


Na categoria pesado, Maria Suelen Altheman foi ainda pior ao ser eliminada na estreia pela eslovena Anamari Velensek. O peso médio Rafael Macedo, por sua vez, caiu diante do israelense Li Kochman e também deu adeus na primeira luta. Por fim, o pesado Rafael Buzacarini abriu a sua campanha superando o estoniano Grigori Minaskin, mas depois perdeu para o alemão Michael Korrel.


Essa foi a última competição em que a Confederação Brasileira de Judô contabilizou pontos para a classificação dos judocas para o Mundial de Tóquio, que será realizado entre os dias 25 e 31 de agosto. A entidade vai levar para a competição os nove brasileiros mais bem colocados por gênero (masculino e feminino) após a atualização do ranking mundial da modalidade, nesta segunda-feira, pela Federação Internacional de Judô (IJF, pela sigla em inglês).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.