Divulgação/ UFC
Divulgação/ UFC

Brasileiros buscam chance de disputar o cinturão do UFC em 2019

País tem dois títulos, ambos de Amanda Nunes, e pode aumentar sua lista de campeões ao longo do ano

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2019 | 04h31

Alguns lutadores brasileiros de MMA vivem a expectativa de ter a chance de disputar o cinturão do UFC neste ano. Com apenas dois títulos, de Amanda Nunes, que fez história ao nocautear a compatriota Cris Cyborg e ser a campeã do peso pena (ela já tinha o cinturão dos galos), o País pode aumentar a sua lista de campeões em 2019. Logo no primeiro evento do Ultimate no Brasil, em 2 de fevereiro, Raphael Assunção e Marlon Moraes se enfrentam na luta principal em Fortaleza para subir um degrau.

Assunção e Moraes ocupam, respectivamente, a terceira e quarta colocação do ranking peso galo do UFC e somam resultados positivos em seus últimos combates. Ambos são cogitados pela organização para a disputa pelo cinturão peso galo, atualmente nas mãos de TJ Dillashaw. Quem vencer o duelo dará um passo enorme para concretizar isso.

Outro destaque na categoria masculina e que figura o card do UFC Fortaleza é o ex-campeão peso pena José Aldo. Ele encara Renato Moicano na co-luta principal na capital cearense e tem a possibilidade de encerrar a carreira em 2019 disputando mais um título pela organização. Apesar de ser cogitado pelo Ultimate e ocupar a segunda colocação no ranking de sua categoria, Aldo afirmou recentemente que pretende cumprir as três últimas lutas do seu contrato até o segundo semestre do ano e não coloca mais o cinturão como um objetivo de sua carreira.

"Quero lutar em Fortaleza, depois em Curitiba e encerrar a minha carreira aqui no Brasil, no segundo semestre. Eles (UFC) sabem disso. Não tem motivo eu mirar um título, mas eu vou vencer essas três lutas e atrapalhar quem entrar na minha frente. Com a luvinha preta, esse é o último ano", disse, anunciando que sua aposentadoria está próxima.

Outras duas grandes chances de o Brasil conquistar um cinturão no maior evento de MMA do mundo vem de Anderson Silva e Jessica Andrade. Aos 43 anos, o ex-campeão peso médio retorna ao octógono para enfrentar Israel Adesanya, no UFC 234, dia 10 de fevereiro. Fora das disputas oficiais pelo período de um ano após ser flagrado no exame antidoping por causa do uso de suplemento contaminado, Anderson Silva quer voltar a dar alegria aos fãs. Em caso de vitória, ele já recebeu a promessa do "title shot" (disputa garantida de título) do próprio Dana White, presidente da organização.

Jessica Andrade, por sua vez, foi confirmada para a disputa do cinturão peso palha contra a norte-americana Rose Namajunas. A luta acontece na Arena da Baixada, em Curitiba, no mês de maio. Esse será o segundo evento do ano no Brasil e a paranaense de Guarapuava, de 27 anos, sabe que tem tudo para conquistar o título diante de sua torcida.

Pelo menos no papel, a possibilidade de títulos brasileiros em 2019 pode ampliar o número de campeões do País no UFC. Além dos já citados, outros atletas têm chance: Renato Moicano (peso pena), Ronaldo Jacaré (médio), John Lineker (galo), Cris Cyborg (pena), Thiago Marreta (meio-pesado) e Junior Cigano (pesado).

 

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.