Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Felipe Rau/ Estadão
Felipe Rau/ Estadão

Cartel invicto não assusta Thominhas: 'Penso só na próxima'

Thomas Almeida sempre levou performance ou luta da noite

Paulo Favero e Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

08 de novembro de 2015 | 14h57

Agora com cartel invicto de 21 vitórias no MMA, quatro delas no UFC, Thomas Almeida é grande postulante ao título dos pesos galos. Com mais um nocaute incrível, o paulistano apagou Anthony Birchak no primeiro round do UFC Fight Night, em São Paulo, neste sábado. 

"Me sinto realizado", afirmou Thominhas na coletiva de imprensa. "As coisas têm dado certo. É um trabalho de muitos anos que estou fazendo. Estou muito feliz. Quero agora cuidar dos ferimentos e depois pensar no próximo evento." Thominhas preferiu não escolher adversário para sua luta seguinte, nem mediu se está próximo da disputa pelo cinturão dos galos. "Sou funcionário do UFC. Tenho contrato e com quem eles me colocarem, eu luto. Vou dar meu melhor lá e buscar a vitória."

"Quero novos desafios, crescer no evento, ser campeão e fazer várias defesas. Sou jovem ainda e estou focado", respondeu o atleta que é natural do bairro do Brooklin, em São Paulo. Questionado na coletiva se seu histórico sem derrotas o pressiona para futuros combates, Thomas Almeida afirmou que pensa "apenas na próxima luta". 

Em 21 lutas como profissional de MMA, Thomas Almeida possui 16 vitórias por nocaute e apenas três deles não foram no primeiro assalto. No total, são 17 combates encerrados antes dos cinco minutos iniciais. Assim como as vitórias em todos os seus eventos no UFC, ele também possui quatro prêmios extras por performance ou luta da noite. Neste último sábado, o nocaute técnico sobre Birchak lhe renderam US$ 50 mil (R$ 188 mil). Segundo o lutador, no entanto, este não é o objetivo principal. 

Ainda no octógono, Thominhas agradeceu ao público e também destacou seus companheiros da Chute Boxe, que viajaram de Curitiba até São Paulo. Era possível ver inúmeras bandeiras da equipe espalhadas pelo Ginásio do Ibirapuera. 

No começo da entrevista coletiva, Giovani Decker, diretor-geral do UFC no Brasil, informou que Anthony Birchak estava bem, mas seguia em observação no hospital.

Tudo o que sabemos sobre:
ufclutasmmaufcthomas almeida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.