Sarah Siter/AFP
Sarah Siter/AFP

Com interrupção prematura, Cejudo vence Dillashaw em duelo de campeões do UFC

Norte-americano pede revanche, diz ter sido 'roubado' e lamenta comemoração de adversário

Redação, Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2019 | 12h21

Em combate entre campeões, Henry Cejudo defendeu o título peso mosca do UFC (categoria até 56,9 Kg) com uma vitória por nocaute técnico contra TJ Dillashaw, neste sábado, em Nova York, nos Estados Unidos. O duelo durou apenas 32 segundos e terminou com a interrupção do árbitro Kevin MacDonald, considerada prematura pelo lutador derrotado.

"É uma droga quando te roubam. Eu ralei para estar aqui. Sou muito melhor do que isso. Seria legal pelo menos ter a chance de mostrar. É uma disputa por título, campeão contra campeão, e o cara vai encerrar daquele jeito? Eu estava agarrado a uma perna do meu oponente. O árbitro falou para eu mostrar reação, eu disse que estava 'ok' e iniciei uma tentativa de queda, aí o combate acabou depois de Cejudo parar de socar. É ridículo. É patético eu ter mais conhecimento do que esse homem", discursou Dillashaw, dono do título peso galo do Ultimate (divisão até 61,2 Kg).

O atleta norte-americano exigiu uma revanche e criticou Cejudo. "Como é possível perceber, estou frustrado. Essa luta precisa acontecer de novo no peso mosca. Trabalhei duro por 12 meses para ser roubado em 30 segundos. Como ele ficou tão feliz com uma vitória dessa? É claro que ele manteve o título, vai alimentar a família dele, pagar as contas. Tem que ficar feliz. Mas uma vitória desse jeito não me deixaria tão contente. Eu não diria que sou duas vezes campeão depois de um triunfo desse", afirmou Dillashaw.

Cejudo cobrou que o UFC não encerre a divisão dos moscas, como tem sido especulado, e sugeriu fazer uma revanche, mas com 61,2 Kg. "Estou muito feliz, venci um dos melhores de todos os tempos. Eu conectei um soco e senti que ele estava machucado. Onde está você, Dana White? Minha vitória é maior do que eu, é para manter a minha categoria. Eu sei que o corte de peso foi muito grande para Dillashaw, podemos nos enfrentar nos galos", afirmou o ex-atleta de wrestling, campeão olímpico em 2008, em Pequim.

Presidente do UFC, White concordou com a análise de Dillashaw sobre o desfecho do combate. "Foi ridículo, também acho que foi uma interrupção prematura. Não quero tirar o crédito de Cejudo, que estava massacrando com apenas 20 segundos de luta. Eu não gosto que coloquem árbitros das comissões atléticas locais, quando elas são inexperientes, como aqui em Nova York. Por favor, coloquem alguém com rodagem", ponderou o executivo.

Apesar da análise, White não garante que a revanche vai acontecer. "Ao ver as condições físicas de Dilashaw, que baixou de peso, parecia que ele estava pronto para um combate curto. Não sei o que vai acontecer, vamos ver", esquivou-se

Três brasileiros lutaram no evento. Glover Teixeira finalizou Karl Roberson no primeiro round, com um katagatame, pela divisão meio-pesado (até 92,9 Kg). Pela mesma categoria, Vinicius Moreira foi batido no primeiro assalto, por nocaute técnico, aplicado por Alonzo Menifield. Já a peso mosca Ariane Lipski perdeu para Joanne Calderwood por decisão unânime dos jurados (30/26, 30/26 e 30/27). Uma das maiores atrações do card, o ex-jogador de futebol americano Greg Hardy foi desclassificado no segundo round do duelo contra Allen Crowder, por causa de uma joelhada ilegal.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.