Reprodução/Site oficial AIBA
Reprodução/Site oficial AIBA

Com promessa russa de pagar débito, COI define futuro olímpico do boxe em maio

Presença de Gafur Rakhimov na presidente da Associação Internacional da entidade era outro dos entraves

Redação, Estadão Conteúdo

28 de março de 2019 | 15h34

O russo Umar Kremlev fez uma oferta para pagar a dívida de US$ 16 milhões (aproximadamente R$ 63 milhões) da Associação Internacional de Boxe (Aiba), caso o Comitê Olímpico Internacional (COI) mantenha o boxe nos programa dos Jogos de Tóquio-2020. "Eu estou pronto para pagar todas as dívidas da Aiba, desde que nosso esporte favorito permaneça no programa olímpico", escreveu Kremlev em um comunicado. O russo é membro do comitê executivo da Aiba.

Além das dívidas, o COI também contesta a presença de Gafur Rakhimov na presidência da entidade que dirige o boxe olímpico no mundo. O usbeque tem seu nome na lista das autoridades norte-americanas, acusado de fazer parte do tráfico de armas e de heroína.

O COI anunciou nesta quinta-feira que o conselho da entidade vai apresentar um relatório final do inquérito em 22 de maio, quando se ficará sabendo se o boxe fará ou não parte dos Jogos Olímpicos do ano que vem.

"Um relatório foi apresentado nesta manhã (quinta-feira) ao comitê executivo", informou Christian Klaue, porta-voz do COI. "É um caso em andamento, então não posso comentar o conteúdo do relatório", afirmou. "O objetivo é apresentar o relatório final na próxima reunião do comitê executivo do COI, no dia 22 de maio em Lausanne."

A Aiba saberá se vai organizar ou não o torneio de boxe de Tóquio-2020, bem como a classificação, a partir de setembro. Se as sanções forem mantidas, o COI substituirá a federação e organizará o torneio olímpico e os rankings.

Mas a Aiba está confiante de que a recente renúncia de seu presidente, o polêmico Rakhimov, pode reduzir as tensões e ajudar a resolver o conflito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.