Eraldo Peres|AP
Eraldo Peres|AP

Cris Cyborg recebe notificação por violação em antidoping no UFC

Agência antidoping dos EUA encontrou possível falha no dia 5 de dezembro, período fora de competições

O Estado de S. Paulo

22 de dezembro de 2016 | 19h31

A organização do Ultimate Fighting Championship (UFC) anunciou nesta quinta-feira que a brasileira Cris Cyborg pode ter violado as regras de exame antidoping no início deste mês. A entidade revelou ter recebido uma notificação da agência antidoping dos EUA informando a possibilidade de falha no procedimento envolvendo a brasileira.

A Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada, em inglês) ainda não informou qual seria o erro encontrado no exame feito pela lutadora. Ela afirmou, em uma postagem feita na sua conta do Twitter, que o seu médico está em contato com a Usada para explicar o ocorrido, e negou veementemente que teria utilizado anabolizantes.

"O que posso dizer é que eles estão falando com o meu médico, e que eu estou calma. Todos sabem que estou doente, estou me recuperando do corte de peso que fiz para a última luta. O que está acontecendo agora é o pós-corte de peso. Todos sabem que estou doente e em tratamento médico. Não é algo ruim, e estamos em contato para resolver isso da melhor maneira", afirmou a lutadora.

As notificações feitas pela USADA não caracterizam automaticamente o doping. No entanto, elas costumam estar corretas nas suas indicações. O agente e namorado de Cyborg, Ray Elbe, afirmou ao site The Underground que a atleta está tomando remédios e tem autorização para tal.

"Não foi (doping) por esteroide, e ela tem uma receita médica como parte da terapia pós-luta que ela está utilizando depois do corte de peso tão severo. Isso já é conhecido há alguns dias, e Cris colocou o médico em contato com a Usada com todos os arquivos de paciente necessários para mostrar as razões pelas quais ela precisa da medicação", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
MMAUFCTwitterCris

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.