Buda Mendes/ UFC
Buda Mendes/ UFC

Dana White avalia doping de Cyborg como 'não tão estranho assim'

Chefão do UFC revelou que a brasileira recusou propostas de luta três vezes

O Estado de S. Paulo

22 de dezembro de 2016 | 21h28

A notificação de uma possível falha no exame antidoping que a brasileira Cris Cyborg recebeu nesta quinta-feira não pareceu surpreender muito o chefão do Ultimate Fighting Championship (UFC), Dana White. Poucos instantes após ser informado do caso, ele afirmou em entrevista que o doping da atleta pode não ser considerado tão surpreendente assim.

Falando à emissora de TV norte-americana TMZ, ele foi perguntado se seria estranho o doping da lutadora. "Nós oferecemos à (Cris) Cyborg três lutas, ela recusou todas, e agora ficamos sabendo que ela testou positivo para uma substância banida", explicou, questionado em seguida como o UFC lidaria com isso. "A Usada irá lidar com isso. Nós, não. Vão acontecer algumas coisas e nós veremos como tudo vai prosseguir", contou.

Para o chefe da entidade, não havia explicação para o fato de a brasileira ter vetado novas lutas. "É um pouco estranho. Em primeiro lugar, eu estava oferecendo essa luta de 145 libras (aprox. 65kg). Na primeira vez ela tinha oito semanas para se preparar, na segunda ela tinha 11 semanas, e na terceira ela recusou prontamente. Eu achei muito estranho ela recusar todas essas lutas, mas agora não parece mais tão estranho", explicou.

Dana mostrou não acreditar que a brasileira, que venceu suas duas lutas disputadas como atleta do UFC, consiga escapar dessa alegação de doping. "Eu não sei, a Usada vai decidir isso. Mas é estranho, engraçado como as coisas acontecem", afirmou.

Para ele, a rival mais provocativa de Cris, Ronda Rousey, até pode se aproveitar do fato, afirmando que o doping da lutadora brasileira é esperado. "É, Ronda provavelmente falaria isso. Acho que muitas pessoas provavelmente falariam", encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.