Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Esquiva Falcão dá uma de 'entregador' e ajuda mulher em seu negócio de venda de pizzas

Popularidade do pugilista brasileiro ajuda companheira a alavancar entregas do produto durante o período de pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2020 | 15h20

Um dos maiores nomes do boxe brasileiro na atualidade, Esquiva Falcão procura meios de se movimentar durante o período sem lutas e de isolamento. Em razão da pandemia do novo coronavírus, o pugilista, ainda sem combates marcados, tenta dar uma forcinha para a mulher em seu negócio de venda de pizzas.

"Minha esposa está vendendo mini pizzas", publicou o lutador em suas redes sociais. Em seguida, brincou perguntando "Adivinha quem é o entregador?". Falcão e sua mulher, Suelen Marques, fazem as entregas em Vila Velha, no Espírito Santo. Após as publicações na redes sociais do lutador, as vendas começaram a alavancar.

Com a paralisação de vários esportes e ainda sem a previsão de volta para diversas modalidades, alguns atletas estão tendo a oportunidade de fazer coisas que não tinham tempo antes por causa de treinamentos e toda a rotina dos eventos esportivos. Pelo menos no caso de Esquiva Falcão, sua popularidade como pugilista está ajudando sua família a lucrar com as pizzas.

"Minha mulher ficando maluca com várias mensagens no WhatsApp", relatou o lutador em outra postagem, referindo-se ao aumento na procura . Sua mulher também usou das redes sociais para promover o sucesso das vendas. "Meu marido resolveu me ajudar na divulgação do meu negócio é agora meu WhatsApp não para. kkkk. Até os famosos estão curtindo" publicou.

Recentemente, Falcão tornou publico seu desejo de vender sua medalha olímpica de prata, conquistada em 2012, nos Jogos de Londres. Mas, enquanto ainda a possui, se prontificou a fazer a entrega das pizzas usando o artefato no pescoço, claro numa possível brincadeira. "Posso levar até a medalha olímpica para a foto ficar top", brincou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.