Reprodução/Instagram/esquivafalcao
Reprodução/Instagram/esquivafalcao

Esquiva Falcão nocauteia mexicano no 1º round e fica perto de luta por cinturão

Brasileiro derrota Jonathan Gavira na Flórida e segue invicto no boxe profissional

Estadao Conteudo

29 de julho de 2018 | 09h26

O brasileiro Esquiva Falcão venceu na madrugada deste sábado o mexicano Jonathan Gavira por nocaute já no primeiro round em combate realizado na cidade de Kissimmee, na Flórida, Estados Unidos. O resultado mantém Esquiva invicto no boxe profissional, com 21 vitórias, sendo 15 por nocaute.

+ Com neto de Servílio, clã Oliveira festeja 50 anos de glórias no boxe

+ Manny Pacquiao diz se sentir jovem e mira negociação com empresário inglês

O mexicano também chegou para o combate com um bom currículo, com 17 vitórias, sendo 13 por nocaute, além de cinco derrotas. No entanto, ele não teve a menor chance contra o brasileiro. Esquiva bateu desde o início e conseguiu um knockdown antes do primeiro minuto.

Gavira conseguiu se levantar, mas o medalhista olímpico seguiu acertando bons golpes e mandou o adversário novamente à lona com 1min39 de luta. A vitória deixa o brasileiro a um passo da tão esperada luta pelo cinturão da WBA (Associação Mundial de Boxe) do peso médio.

De acordo com Bob Arum, CEO da Top Rank, empresa promotora de boxe nos Estados Unidos, agora o brasileiro deverá fazer mais uma luta antes do combate pelo título. Esquiva irá ao ringue na mesma noite que o atual campeão da categoria, o japonês Ryota Murata, defenderá seu cinturão. Se os dois vencerem, Arum garantiu que o brasileiro terá a oportunidade de lutar contra o japonês.

O duelo contra Murata seria a oportunidade de Esquiva buscar a revanche da final dos Jogos Olímpicos de Londres-2012, na qual ele saiu derrotado por um ponto de diferença em decisão polêmica e ficou com a medalha de prata.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
boxeEsquiva Falcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.