Esther Lin/ Invicta FC
Esther Lin/ Invicta FC

Estreante no UFC, Livia Renata afirma: 'Vou lutar pela memória do meu pai'

Lutadora peso palha encara a australiana Alex Chambers, sábado, no Ginásio do Ibirapuera

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2018 | 07h02

Livia Renata Souza pretende pisar no octógono do Ginásio do Ibirapuera, neste sábado, e fazer história no UFC. A ex-campeã do tradicional Invicta FC está entre os destaques da categoria peso palha e encara a australiana Alex Chambers em sua primeira luta pelo Ultimate.

Livia chega para o evento em São Paulo com uma motivação além do contrato assinado com a maior organização de MMA do mundo. A lutadora quer fazer história para honrar o nome do pai, conhecido como Rincão, morto em um acidente automobilístico vinte dias antes da sua última luta, em agosto de 2017, realizada pelo Invicta FC.

"Depois de voltar do Invicta eu fiquei um pouco balançada pela morte do meu pai. Ele sempre foi meu apoiador e quando ficava desmotivada lembrava dos incentivos que ele me dava. Eu pensei seriamente em dar uma pausa na carreira, mas o convite do UFC chegou e eu tenho certeza de que essa vai ser a melhor fase da minha vida", conta, em entrevista ao Estado.

Apesar da emoção ao falar do pai, a peso palha afirma que sempre esteve disposta a deixar a dor de lado para obter novas conquistas profissionais, uma lição que aprendeu desde os cinco anos de idade, quando iniciou seus treinamentos no jiu-jítsu. "Sou uma pessoa que sabe separar a parte emocional da profissional. Sou forte nesse sentido. Sei que sou humana, que também sinto emoções, mas acho que foi fundamental para o meu crescimento saber lidar com todas as situações", diz.

Com um cartel de 11 vitórias em 12 lutas disputadas pelo Invicta, Livia chega ao UFC sendo apontada como uma das grandes revelações do MMA brasileiro, título que traz confiança e uma preparação "a todo favor" faltando apenas dois dias para sua primeira luta no UFC.

"Eu competi bastante no Ibirapuera, então considero que lá também é a minha casa. Não sinto pressão de maneira nenhuma", afirma Lívia, que pretende dedicar mais uma vitória para Rincão. "Meu pai foi o meu grande apoiador, grande fã e minha maior cobrança. Não existe ninguém nesse planeta que me cobrava mais do que ele. Hoje eu luto em memória dele", completa.

 

ÍDOLO NO ESPORTE

Lembrando de sua infância e todos os obstáculos que precisou enfrentar para garantir uma carreira de sucesso no mundo das lutas, Livia compara sua vida com a do ex-campeão José Aldo e declara ser uma das grandes fãs do ídolo brasileiro.

"Minha vida é muito parecida com a do José Aldo. Quando vi o filme dele, percebi que existem inúmeras coincidências, principalmente depois da morte do meu pai. Depois disso, fiquei feliz e motivada para também ter uma história de superação e uma história bonita para poder contar um dia", revela.

Apesar da comparação, a peso palha afirma que não deve chegar no patamar de Aldo, mas fará o possível para seguir conquistando vitórias dentro e fora dos octógonos. "Creio que nunca vou chegar aos pés do Aldo. Ele é uma lenda, é inatingível e admiro o que ele fez para o esporte nas condições que ele tinha. Porém, o que eu puder fazer para deixar o meu nome marcado, eu vou fazer", garante.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.