Andreza Galdeano/Estadão
Andreza Galdeano/Estadão

Ex-campeão do UFC, Minotauro vive experiências inéditas em série de TV

'Depois de 40 anos, é a primeira vez que eu visto um kimono de caratê', conta

Andreza Galdeano, O Estado de S. Paulo

22 de março de 2017 | 16h40

Rodrigo Minotauro deixou os octógonos em 2015. De lá pra cá, o ex-campeão dos pesos-pesados do UFC vem marcando presença no universo da luta. Além de ser membro do Hall da Fama da organização e embaixador de relacionamento com atletas do Brasil, a mais recente empreitada da lenda do MMA foi a série de TV Viver Para Lutar, que fez sua pré-estreia nesta quarta-feira, no Museu da Imagem e do Som.

Depois de colecionar um cartel de vitórias, o ex-lutador revelou ter vivido experiências inéditas. "Passei minha vida inteira nas artes marciais, depois de 40 anos, é a primeira vez que eu visto um kimono de caratê".

O documentário conta com seis episódios que retratam a história das artes marciais pelo mundo. Minotauro conheceu as melhores academias da Rússia, Tailândia, Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos. Nos locais, treinou e mostrou a paixão de lutadores em esportes tradicionais como sambô, caratê, judô, muay thai, tae-kwon-do e wrestling. Os primeiro episódios da série serão exibidos a partir da próxima segunda-feira (27), no Canal Combate.

O primeiro capítulo exibido na pré-estreia mostrou as gravações feitas em Okinawa, ilha ao sul do Japão. Minotauro praticou caratê ao lado do mestre Higa, um dos nomes mais respeitados da modalidade, e demonstrou emoção ao falar sobre a recepcão: "Foi muito bonito. Eu cheguei a falar para a minha equipe que, se eu morresse ali, morreria feliz. Eu até me emociono. Para quem pratica, nunca é só uma luta, não é ganhar milhões, conquistar um título mundial ou um cinturão, mas sim a atitude de um dos maiores mestres de arte marcial do mundo".

Todos os capítulos destacam a paixão de quem pratica artes marciais, mostrando a rotina de lutadores que "vivem para lutar". "Sempre terão lutas, cada um é diferente do outro. No primeiro, mostramos o lado cultural do Japão, o que é fantástico", conta Minotauro.

A estreia no Canal Combate será apenas o primeiro passo do documentário apresentado por Minotauro. "Vai passar para mais de 40 países fora do Brasil. Ela (série) é feita por uma produtora brasileira, mas para o mundo inteiro", explica. O material, que posteriormente será transmistido em outros canais Globosat, já conta com produções em português, inglês e espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.