Divulgação
Divulgação

Ex-engraxate, Alan Nuguette deixa lesões para trás em seu retorno ao UFC

Com história de vida de superação, lutador pega Damien Brown no UFC Fight Night 85

Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2016 | 19h28

Alan Nuguette é um lutador de bem com vida. Após duas lesões graves e apenas uma luta nos últimos três anos, o brasileiro garante não estar ansioso para o retorno ao octógono neste sábado, quando pega o australiano Damien Brown, neste sábado, pelo UFC Fight Night 85, que tem como luta principal o embate entre Frank Mir e Mark Hunt.

Questionado sobre o tempo que ficou se recuperando, o atleta prefere ver o lado bom da situação. "Consegui acompanhar o nascimento do meu filho. Eu agradeço a Deus por ter um trabalho onde eu possa ter um tempo para ver o crescimento dele."

Além da aptidão para lutar, não deixar as dificuldades o abalarem parece ser um dom que nasceu com Alan. Filho de pais alcoólatras e divorciados, ele trabalhou dos 12 aos 18 anos como engraxate para sobreviver na casa onde vivia com 11 pessoas em Brasília. Daí ganhou o apelido de Nuguette, em referência ao produto de cera para sapatos. 

"Passava fome, mas me divertia. Nessa época, eu tinha um esquema de dormir no brinquedo do McDonald's. Quando ele fechava, eu pulava o muro e me jogava dentro da piscina de bolinhas. Não podia fazer barulho, senão o segurança descobria", conta.

Nascido em São Paulo, Alan Nuguette teve seu primeiro contato com a luta na adolescência, quando morava no Distrito Federal. O talento para a capoeira acabou rendendo uma indicação para o jiu-jítsu. A profissionalização veio em Manaus, cidade onde encontrou apoio financeiro para se dedicar ao esporte. Aos 32 anos, o lutador lembra que este foi o momento mais complicado de sua vida. 

"No Brasil, ninguém quer o filho feio. Quando já está tudo pronto é fácil o pessoal investir em você, mas no início é muito complicado. Posso comparar com o que acontece nos Estados Unidos. Lá, você é apoiado desde a base, você tem estudo, bolsa em faculdade, bolsa para isso e aquilo. Aqui, quando você entra no esporte já acham que você é vagabundo e não quer trabalhar", relembra Nuguette, que também buscou a consolidação da carreira na Flórida. 

PROJETOS SOCIAIS

Fora do octógono por um longo tempo, Alan Nuguette focou em seu projeto social na cidade do Rio de Janeiro, onde mora. Em outubro de 2015 promoveu uma festa para mais de 500 crianças carentes em Vargem Pequena, zona oeste do Rio de Janeiro. "Foi uma forma de aproximar as crianças de seus ídolos e mostrar que elas são iguais a eles. Elas precisam saber que podem crescer. No esporte não existe classe social, não importa se você tem mais dinheiro ou não, tudo fica igual", conta.

Com card de 13 lutas no MMA e apenas uma derrota, Alan Nuguette foi apontado por Anderson Silva e por Giovani Decker, presidente do UFC no Brasil, como um postulante ao cinturão antes de suas lesões. Sem precipitação, ele garante que vai dar um passo de cada vez antes de pensar em título e manda um recado para as pessoas que gostam de associar as artes marciais à violência. 

"Para quem pensa que o 'cara' que está ali no octógono é violento, só sabe dar chute e soco por aí, precisa entender que não é bem assim. A luta exige pessoas preparadas, que vivem mais de dez anos treinando aquilo. Para o atleta estar ali, existe uma equipe e uma família por trás", argumenta. "Hoje em dia, por causa do MMA, aquele 'cara' que está ali lutando é uma pessoa que vai te estender a mão se você cair na rua. Se não fosse a arte marcial, esse cara poderia ser aquela pessoa que ia colocar uma arma na sua cabeça para te roubar quando você parasse no farol com seu carrão".

UFC Fight Night 85: Hunt x Mir

19 de março de 2016, em Brisbane (AUS), a partir das 19h50

Card principal

Mark Hunt x Frank Mir 

Neil Magny x. Hector Lombard

Johnny Case x Jake Mathews

Antônio Cara de Sapato x Daniel Kelly

Seo Hee Ham x Bec Rawlings

Card preliminar

Alan Jouban x Brendan O'Reilly

Ben Nquyen x Justin Scoggins

Viscardi Andrade x Richard Walsh

Alan Patrick x Damien Brown

Ross Pearson x Chad Laprise

Rin Nakai x Leslie Smith

Mark Eddiva x Daniel Hooker

Tudo o que sabemos sobre:
UFC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.