Josh Hedges|Divulgação
Josh Hedges|Divulgação

Fabrício Werdum quer revanche em breve para recuperar cinturão

Brasileiro se mostra abatido após derrota para Stipe Miocic no UFC

Julio Cesar Lima, Estadão Conteúdo

15 de maio de 2016 | 19h09

O ex-campeão mundial dos pesos pesados do UFC, Fabrício Werdum, não quer esperar por muito tempo para que possa recuperar seu cinturão, perdido na madrugada deste domingo para o croata Stipe Miocic, na luta principal da noite do UFC 198, na Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

Abatido, Werdum disse que Miocic - o novo campeão - vai querer aproveitar esse período como campeão antes de uma nova disputa. "Ele deve querer ficar algum tempo, entre seis e sete meses, mas já quero aproveitar esse embalo, que fosse em breve, mas não é uma decisão minha", disse. O adversário mais provável de Miocic pelos cinturões deverá ser Alistair Overeem, que passou a ser o segundo na linha de desafiantes desde a última semana.

Ainda na coletiva, Werdum afirmou que deve retomar os treinamentos dentro de uma semana. "Irei para Los Angeles, eu tinha a meta de ser o melhor do mundo, agora quero recuperar (o cinturão), ter minha revanche", avaliou.

Já o atual campeão, Stipe Miocic, repetiu o que já havia falado no ringue e elogiou a torcida e seu adversário. "Foi uma luta muito dura, eu sabia que iria encontrar isso pela frente".

Werdum caiu aos 2 minutos e 46 segundos de luta, após tentar uma série de golpes para forçar a queda de Miocic e levar a luta para o chão, mas recebeu um contragolpe e acabou derrotado.

Além de Werdum e Miocic, Jacaré, que derrotou Vítor Belfort com nocaute, também participou da coletiva. Segundo ele, poucos pensavam ser possível derrotar Belfort. "Quando queremos atingir nossos objetivos precisamos apostar tudo e dar o máximo, penso que já sou merecedor de disputar o título", reclamou.

O norte-americano Matt Brown, que provocou os torcedores brasileiros com gestos obscenos durante a pesagem, foi agredido na tarde deste domingo por Rodrigo Botti, professor de jiu-jitsu e que trabalhou com ele há alguns anos nos Estados Unidos.

Segundo revelou à polícia, Botti, que foi imobilizado, após agredir o atleta, teve uma discussão há alguns anos com Brown nos Estados Unidos, quando chegou a prestar queixa contra o lutador à polícia norte-americana, mas o caso acabou encerrado.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCMMAUFCArena da BaixadaCuritiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.