Josh Hedges/AFP
Josh Hedges/AFP

Filhos de Anderson Silva prestam apoio ao pai nas redes sociais

Sem citar diretamente o doping, Kaory e Kalyl Silva se manifestam no Twitter. Lutador foi flagrado com metabólitos anabolizantes

O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2015 | 14h52

O recente caso de doping do brasileiro Anderson Silva, flagrado em exame realizado no dia 9 de janeiro com metabólitos de drostanolona e androsterona, substâncias anabolizantes, abalou o mundo das lutas. Embora o atleta não tenha se pronunciado oficialmente, os filhos de Anderson fizeram comentários indiretos nas redes sociais.

Sua filha, Kaory Silva, de 18 anos, apenas replicou uma série de mensagens em seu Twitter. Entre elas, está a mensagem postada por seu pai no dia da derrota para Chris Weidman, em 2013, que o afastou dos ringues por mais de um ano. "Brasil sinto muito não queria ter desapontado vocês dei o meu melhor eu juro", escreveu o lutador na ocasião.

Kaory também replicou mensagens de apoio de um fã-clube de Anderson Silva: "Outros testes serão realizados pela comissão para que esses resultados iniciais sejam confirmados. Vai ver é efeito de algum medicamento para o tratamento da perna", diziam as postagens.

Já o filho de Anderson, Kalyl Silva, de 16 anos, preferiu ser mais sucinto e não citou diretamente nada sobre o caso de doping do pai. Também no Twitter, ele postou a seguinte mensagem: "Eu vou parar de dar às pessoas o que elas querem e vou cuidar da minha vida".

Anderson Silva foi flagrado pela presença dos metabólitos de drostanolona e androsterona em um 'exame surpresa' no dia 9 de janeiro. Drostanolone é uma forma comum de esteroide anabolizante, enquanto Androstano é uma forma de hormônio esteroide endógeno. Ambas as substâncias são proibidas pelo código da Agência Mundial Anti-Doping (WADA).

O UFC divulgou nota na noite desta terça-feira confirmando o teste positivo do ex-campeão dos médios e se disse 'desapontado' com os resultados iniciais. O médico de Anderson Silva, Márcio Tannure, afirma que o lutador negou as acusações e "não está entendendo o que aconteceu". Anderson ainda pode solicitar a contraprova.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCAnderson Silvadoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.