Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.br
Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.br

Fora da Olimpíada, carateca brasileiro treina rival da Venezuela para Tóquio-2020

Douglas Brose ajudará Andrés Madera na busca por uma medalha olímpica

Redação, Estadão Conteúdo

03 de julho de 2021 | 20h04

Apesar de não ter conquistado a sua vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, o carateca brasileiro Douglas Brose vai estar presente, indiretamente, no evento que começará no próximo dia 23 no Japão. Isso porque o lutador recebeu um convite para participar da preparação do atleta venezuelano Andrés Madera, que estará no país oriental em busca da medalha olímpica.

Além dos eventos classificatórios, cada continente tem direito de escolher um atleta do caratê para a Olimpíada e esta vaga ficou para o lutador da Venezuela. O fato curioso é que a segunda opção seria justamente Douglas Brose.

"Foi uma situação até bem curiosa mesmo porque eu sou meio que um reserva dele, caso aconteça algo. E se por acaso ele tivesse conseguido a vaga via evento classificatório, muito provavelmente eu teria herdado essa vaga do continente. Eu e o Andrés já nos conhecemos há algum tempo, temos uma boa amizade, tanto que quando vamos para competições internacionais, a gente sempre combina de se encontrar uns dias antes para treinar", afirmou Douglas Brose.

"Quando recebi o convite para ajudar nessa preparação, fiquei feliz em poder fazer parte disso, me coloquei à disposição para ajudar no que for preciso. Para mim é muito legal participar disso, acredito que eu possa dar uma boa contribuição, tenho bastante experiência com os atletas da categoria até 60kg que vão estar na Olimpíada", contou o brasileiro, que também é terceiro-sargento do Exército.

O carateca fica até o próximo dia 13 na Venezuela e depois segue o seu planejamento para o ano. "O meu objetivo agora é ajudar o Andrés nesse trabalho de preparação para a Olimpíada e, depois, vou focar no Campeonato Mundial em novembro. Vou em busca do tricampeonato, seria muito especial para mim", concluiu Douglas Brose, que conquistou os dois títulos em 2010 e 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
caratêOlimpíada 2020 Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.