Site Oficial / CBJ
Site Oficial / CBJ

Fora do pódio, Maria Suelen se diz triste por derrotas em Mundial com 'surpresas'

Nas disputas individuais, judocas brasileiros conquistaram apenas um bronze, na pior participação do país em mundiais desde 2009

Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2018 | 12h58

Com a experiência de quem já havia sido vice-campeã em 2013 e 2014, Maria Suelen Altheman esteve próxima de subir novamente ao pódio do Mundial nesta quarta-feira, em Baku. Mas após vencer as três primeiras lutas no Azerbaijão, a peso pesado (+ 78kg) foi batida nas semifinais e na disputa pelo bronze, ambas por waza-ari, deixando a competição sem medalhas. Após as derrotas, a brasileira admitiu tristeza com o resultado, mas também avaliou ter feito o seu máximo.

"Acho que deu pra perceber que foi um campeonato com muitas surpresas, em várias categorias. Muitos favoritos caíram. Vi minha chave e sabia que ia ter que focar luta por luta. Foi o que eu fiz. Me preparei bastante para lutar com todas, treinei bastante. Saio triste pelo resultado, mas satisfeita porque consegui lutar bem. Independente da derrota, fiz o meu melhor", disse Maria Suelen.

Na sua campanha, Maria Suelen venceu a francesa Anne Fatoumata Bairo, a alemã Carolin Weiss e a britânica Sarah Adlington. Nas semifinais, porém, caiu para a cubana Idalys Ortiz, que havia sido sua algoz na disputa pelo ouro nos Mundiais de 2013 e 2014. E a turca Kayra Sayit a derrotou na luta pelo bronze.

O título acabou ficando com a japonesa Sarah Asahina, que havia sido prata no Mundial de 2017 e agora venceu Ortiz na final. E o pódio foi completado pela bósnia Larisa Ceric, que levou um dos bronzes, ao lado da judoca da Turquia.

No evento masculino dos pesos pesados, que não contou com a participação da lenda francesa Teddy Riner, o título foi conquistado pelo georgiano Guram Tushishvili, que venceu na final Ushangi Kokauri, do Azerbaijão. Hisayoshi Harasawa, do Japão, e Ulziibayar Duurenbayar, da Mongólia, faturaram o bronze.

A disputa do peso pesado encerrou os eventos individuais do Mundial de Judô. Com 14 medalhas de ouro em disputa, o Japão dominou a competição em Baku, com sete títulos, além de cinco pratas e quatro bronzes. A Coreia do Sul foi o outro único país a conquistar mais de um ouro - dois.

O Brasil decepcionou no Azerbaijão e só subiu uma vez ao pódio, com o bronze conquistado por Érika Miranda na categoria até 52kg. Foi o pior desempenho do País na disputa individual desde 2009, quando não conseguiu nenhuma medalha no Mundial de Roterdã.

O Mundial de Judô será encerrado nesta quinta-feira, com a disputa do evento por equipes mistas. A seleção brasileira estreará na segunda fase contra o vencedor do confronto entre China e Cuba.

 
Tudo o que sabemos sobre:
judôMaria Suelen Altheman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.