Reprodução/UFC Twitter
Reprodução/UFC Twitter

Frankie Edgar bate Pedro Munhoz em estreia nos galos dos UFC; Amanda Lemos vence

Veterano de 38 anos conseguiu superar o brasileiro por decisão dividida dos juízes (48-47, 46-49 e 48-47)

Redação, Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2020 | 10h35

Frankie Edgar entrou para a seleta lista de lutadores que têm vitórias em três categorias de peso ao vencer Pedro Munhoz no evento principal do UFC em Las Vegas, neste sábado. O veterano americano de 38 anos conseguiu o triunfo por decisão dividida dos juízes (48-47, 46-49 e 48-47) em sua estreia na divisão dos galos.

Edgar teve uma atuação sólida diante de Munhoz, o atual número cinco do ranking da categoria, e, com isso, se tornou o 12º lugar lutador a triunfar em três categorias de peso, aumentando seu record de mais tempo dentro do octógono para 7h40min50s.

"É bom voltar a vencer. Muita gente falou que eu estava velho, e eu provei o contrário. Ele é o número cinco do ranking, e essa vitória me coloca no top 5 aos 38 anos de idade. Ele me castigou com os chutes baixos, mas eu aguentei firme e fui até o fim. Só posso dizer que estou de volta", celebrou Edgar.

Outro destaque da noite em Las Vegas foi Amanda Lemos. A brasileira conquistou a segunda vitória consecutiva ao superar a japonesa Mizuki Inoue por decisão unânime dos juízes (triplo 30-27), na última luta do card preliminar, e se manteve invicta no peso palha da organização.

"Tive muita dificuldade para chegar aqui hoje, mas graças a Deus saí vitoriosa. Treinei muito os chutes nas pernas e no corpo. Poderia ter feito mais, mas deu tudo certo no final, e é isso que importa. Eu queria lutar até dezembro, estar em atividade. Quero lutar contra uma atleta ranqueada, e ter a oportunidade de mostrar a minha evolução", pediu a brasileira.

Mizuki começouu dominando, mas Amanda segurou o ímpeto da adversária e logo se impôs. A brasileira encaixou uma série de golpes fortes, se livrou de uma chave de braço, especialidade da oponente, e conseguiu um knockdown e uma queda que garantiram a pontuação a seu favor no primeiro round.

Nos rounds seguintes, a lutadora japonesa seguiu a estratégia de usar o clinche, mas Amanda usou sua boa movimentação para fugir das investidas da adversária e impôs seu ritmo explosivo para conectar golpes em velocidade. A brasileira cansou no final, mas conseguiu sustentar a vantagem e, ao fim do combate, as pontuações de todos os juízes laterais marcaram 30-27 para ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.