Rafael Pezzo/ Estadão
Rafael Pezzo/ Estadão

Glover Teixeira sonha com cinturão, mas se vê distante de disputa

Brasileiro espera mais 2 lutas antes de desafiar o campeão

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2015 | 16h23

Assim como a luta principal do UFC Fight Night, no próximo sábado, no Ginásio do Ibirapuera, o segundo confronto mais importante da noite também trará um brasileiro buscando voltar à disputa do cinturão. Se Vitor Belfort olha para Chris Weidman nos meio-médios, Glover Teixeira mira em Jon Jones e Daniel Cormier, nos meio-pesados. 

Antigo detentor do cinturão, Jones acabou de retornar de suspensão de seis meses após se envolver em um acidente e fugir do local. Mesmo nessa situação, o mineiro ainda o considera o verdadeiro detentor do título, já que "ele nunca perdeu uma defesa e foi quem mais defendeu o cinturão. Ninguém pode falar o contrário. Quem falar isso pode até ser considerado burro", respondeu Glover aos jornalistas no UFC Media Day, em São Paulo, nesta quinta-feira, às vésperas da luta contra Patrick Cummins.

"Se eu ou o Gustafsson ficássemos com o cinturão, não teríamos credibilidade, porque perdemos para o Jon Jones. Ele tem que voltar mesmo para a categoria e, se quisermos ser campeões, temos que ganhar dele", completou Teixeira, citando Alexander Gustafsson, que perdeu a disputa pelo título para Daniel Cormier, já sem Jon Jones no cenário.

O brasileiro foi derrotado por Jon Jones em abril de 2014, em luta válida pelo cinturão dos meio-pesados. O americano bateu Daniel Cormier, em janeiro deste ano, mas teve o título cassado pelo mau comportamento em abril. No UFC 187, no dia 23 de maio, Daniel Cormier derrotou Anthony Johnson e assumiu o posto de campeão.

Glover não tem dúvidas que, após ser liberado da suspensão no último mês de outubro, Jones vai voltar já lutando pelo título, contra Cormier. "Isso já está certo, é algo que está marcado. Estão comentando em uma luta em abril do ano que vem. O Cormier até quer lutar contra o Jon Jones. É uma revanche para ele, quer provar que é o melhor do mundo."

Após a luta com Patrick Cummins, neste sábado, no Ginásio do Ibirapuera, Glover Teixeira projeta outros dois confrontos antes de ter alguma chance de desafiar o campeão. Ainda que tenha o desejo de ser dono do cinturão dos meio-pesados, o mineiro de 36 anos admite que pode não cumprir seu sonho. "É caso de pensar, cada um tem um objetivo na vida. O meu é ganhar o cinturão um dia. Agora está um pouco longe, eu acho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.