Tommy Gilligan/USA TODAY Sports
Tommy Gilligan/USA TODAY Sports

Irritado com Dana White, Jon Jones afirma que deixará cinturão do UFC vago

Lutador e presidente da franquia de MMA entraram em conflito após mandatário dizer que atleta queria R$ 160 milhões para enfrentar Ngannou

Redação, Estadão Conteúdo

31 de maio de 2020 | 22h16

Jon Jones, lutador norte-americano de MMA considerado um dos melhores da história do esporte, afirmou que irá deixar o título dos meio-pesados do UFC vago e que Dominick Reyes e Jan Blachowicz, respectivamente os números um e três do ranking poderão disputá-lo. Jones está em um conflito aberto com Dana White, presidente do UFC, através de declarações.

Na última sexta-feira, White afirmou em entrevista coletiva que Jones havia pedido US$ 30 milhões (R$ 160 milhões) para subir de categoria e enfrentar Francis Ngannou. No mesmo dia, o lutador rebateu o presidente do UFC através das redes sociais, pedindo-o que não fosse mentiroso e dizendo que sua reputação já fora atingida o suficiente.

Após o evento do UFC no último sábado, White foi questionado sobre a situação. A resposta foi contundente. "Eu e Jones sempre tivemos isso. Sempre olho para o que ele poderia ter sido. Ele poderia ter sido o LeBron (James) do nosso esporte. Ele poderia ter sido grande assim. As coisas pelas quais ele passou, vir assim e achar basicamente que ele pode exigir 15, 20 ou 30 milhões de dólares… É insano. Ele pode fazer o que quiser, pode ficar sentado, pode lutar, pode fazer qualquer coisa", afirmou o presidente. Ainda afirmou que a reputação de Jones foi manchada por ele mesmo.

Já no domingo, Jones demonstrou a revolta. "Reyes vs Jan pelo cinturão dos meio-pesados. Até o momento, não tenho vantagem alguma em lutar com qualquer um deles. Me avisem se vocês quiserem marcarem uma data em 2021. Espero que vocês estejam dispostos a pagar por ela". Na sequência, respondeu à pergunta de um fã confirmando que abriria mão do cinturão.

"Eu faria provavelmente mais dinheiro em minha primeira luta de boxe do que em minhas três próximas lutas (no UFC) juntas", escreveu Jones, afirmando que a dor que sentia não valia mais a pena. O lutador constantemente reclama da dificuldade do UFC em aumentar os salários dos atletas.

Jones é considerado um dos maiores lutadores da história do MMA, mas também tem uma longa lista de problemas na carreira, principalmente com o antidoping e por passagens na polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.