AFP PHOTO/Toshifumi Kitamura
AFP PHOTO/Toshifumi Kitamura

Japão vira e bate o Brasil no segundo dia do Desafio Internacional de Judô

No total, japoneses superaram os brasileiros por 4 a 3 e se recuperaram de derrota no dia anterior

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2018 | 21h15

O Japão devolveu a derrota do primeiro dia do Desafio Internacional de Judô e venceu o Brasil nesta sexta-feira. Com quatro vitórias contra três, o time japonês buscou a revanche e ficou com o título na disputa que aconteceu no Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas, no interior da Bahia.

No primeiro dia, quinta-feira, o Brasil levou a melhor em casa e fez 5 a 2 sobre a equipe japonesa. Já nesta sexta, os asiáticos se vingaram e encerraram o Desafio Internacional com um triunfo por 4 a 3, de virada.

"No primeiro dia de competição, acho que estavam todos um pouco nervosos. Era a primeira vez deles no Brasil e a seleção brasileira é muito forte. Para o segundo dia, eu conversei com meus atletas para fazerem o que sabem e eles mudaram a forma de encarar a disputa", avaliou a técnica japonesa Shinobu Tochito. "Foi uma experiência muito legal estar aqui no Brasil. As pessoas são sempre muito gentis. Agradecemos a oportunidade."

Apesar do triunfo japonês, foi o Brasil que saiu na frente nesta sexta. Leonardo Gonçalves levou a melhor sobre Koitaro Matsutani com um wazari no golden score. Em seguida, Beatriz Souza conseguiu um ippon sobre Tomoni Etani, também no tempo extra, e encaminhou o triunfo dos anfitriões.

Mas o Japão reagiu. Jumpei Igarashi e Sae Tasaka levaram a melhor sobre Giovani "Pezão" Ferreira e Vitória Ribeiro, respectivamente, e garantiram o empate. A virada veio no quinto combate, em que Yuya Sato derrotou Eduardo Katsuhiro no golden score.

A pressão ficou toda sobre a campeã olímpica Rafaela Silva, que não decepcionou e garantiu o empate ao Brasil ao bater Kana Suzuki com um wazari. Mas, no combate derradeiro, David Lima não foi páreo para Daiki Mitsui, e o Japão garantiu a vitória.

A competição marcou a despedida do judô brasileiro em 2018. No início do ano que vem, a seleção principal se reapresenta para treinamentos nacionais e internacionais, já visando a temporada de 2019, ano de Pré-Olímpico.

 

 

Mais conteúdo sobre:
judôRafaela Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.