Gary A. Vasquez/USA Today Sports
Gary A. Vasquez/USA Today Sports

Jon Jones faz acordo judicial e acusação de violência doméstica é retirada

Lutador de 34 anos vai pagar US$ 750 (cerca de R$ 4,3 mil) em restituição à vítima

Redação, Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2021 | 18h48

O lutador Jon Jones aceitou um acordo judicial em Nevada, nos Estados Unidos, que o mantém fora da prisão e o livra da acusação de violência doméstica. O norte-americano, de 34 anos, não contestou nesta terça-feira, uma acusação menor de contravenção, destruição de propriedade e vai pagar US$ 750 (cerca de R$ 4,3 mil) em restituição à vítima. Ele também deve ficar longe de problemas e frequentar o aconselhamento de controle da raiva.

Jones foi acusado de adulteração de um veículo - um carro da polícia - e contravenção doméstica decorrente de um incidente em 24 de setembro em Las Vegas.

A Polícia Metropolitana de Las Vegas foi chamada ao Caesars Palace Hotel depois que uma mulher alegou que teria sido agredida por Jones. O lutador também dado uma cabeçada no capô de um carro da polícia ao ser levado sob custódia. Ele amassou o veículo.

Ele esteve na cidade para a cerimônia no Hall da Fama do UFC por causa de sua primeira luta com o sueco Alexander Gustafsson, em 2013,

O cartel de Jones no MMA é de 26 vitórias e uma derrota, sofrida em 2009 para Matt Hamill. Ele lutou pela última vez no UFC 247 em fevereiro de 2020, derrotando Dominick Reyes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.