John Locher|AP
John Locher|AP

Jon Jones mostra dedo do meio para Cormier após vitória no UFC

Rivais podem se enfrentar no UFC 200, que ocorrerá em julho

O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2016 | 11h05

O retorno de Jon Jones ao MMA após mais de um ano afastado começou a render polêmica logo após seu fim. Nem bem derrotou seu compatriota Ovince St. Preux por pontos, em decisão unânime dos juízes, e o norte-americano mostrou o dedo do meio para o rival Daniel Cormier após sair do óctogono.

Afastado por mais de um ano do UFC após enfrentar problemas na Justiça e ser detido duas vezes pela polícia, "Bones" ficou com o cinturão interino dos meio-pesados após derrotar St. Preux, em combate que decepcionou quem esperava um show da estrela. Um confronto contra Cormier, que detém o cinturão linear da categoria, tem chance de ocorrer no histórico UFC 200, que será disputado em julho, em Las Vegas.

Jones garante não ter se arrependido do gesto dirigido ao rival. "Mandei o dedo para Daniel ao sair do octógono, me senti ótimo! Isso cria burburinho, deixa as pessoas prontas para a luta", afirmou. "Eu e Daniel não nos gostamos, mantivemos um ao outro na nossa vista, tivemos um pequeno desvio no caminho, mas ainda vamos nos enfrentar. Não teve muita emoção envolvida, foi só para fazer as pessoas comentarem e esperarem de novo a luta."

Cormier, que trabalhou como comentarista durante a transmissão, respondeu enquanto ainda participava da transmissão. "Estou fazendo o meu trabalho, sendo profissional. Aí está! Que grosseria, Jon! Que grosseira! Por que tem que ser tão mau?" 

O lutador ainde se colocou à disposição para um duelo contra Jon Jones no UFC 200, caso seja liberado pelos médicos. Os dois se enfrentariam neste sábado, em Las Vegas, mas Cormier se contundiu, tendo que mudar os planos de Dana White, o "chefão" do UFC. A última luta de Jones havia sido exatamente contra "DC", em janeiro do ano passado, quando "Bones" venceu por decisão unânime dos juízes. 

Tudo o que sabemos sobre:
LutasMMAUFCDana White

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.