John Locher/AP
John Locher/AP

Jon Jones vence Smith por decisão dos juízes e defende título no UFC

Americano supera compatriota em confronto equilibrado e permanece invicto desde 2009

Redação, Estadão Conteúdo

03 de março de 2019 | 10h22

O norte-americano Jon Jones defendeu com êxito seu título dos meio-pesados (até 93kg) do UFC ao conquistar uma vitória por decisão unânime sobre o compatriota Anthony Smith, na luta principal do UFC 235, evento realizado em Las Vegas e concluído apenas na madrugada deste domingo (no horário de Brasília).

Para isso, Jones superou uma dedução de dois pontos por um joelhada ilegal na cabeça de Smith no quarto round. O campeão, que está com 24 vitórias e uma derrota no seu currículo, teve pouco trabalho em uma exibição com pouco brilhantismo contra Smith (31 vitórias e 14 derrotas). Ele dominou a luta em pé, na grade e no chão.

Jones permanece invicto desde 2009, ganhando por decisão pela quinta vez em suas últimas sete lutas. Os três juízes apontaram seu triunfo por 48 a 44. Ele deteve o cinturão dos meio-pesados por longos períodos nos últimos oito anos, mas também já o perdeu duas vezes nesse tempo, por causa suspensões por doping e problemas fora do octógono.

Assim, no seu auge, chegou a fazer apenas duas lutas em um período de quatro anos. Jones voltou ao octógono no UFC 232, em 29 de dezembro, quando reconquistou o cinturão diante de Alexander Gustafsson. E agora fez uma nova luta apenas nove semanas depois.

"Ele fez um grande trabalho. Estou orgulhoso da carreira dele, ele teve altos e baixos e agora está aqui. Ele é incrível e uma verdadeira inspiração. Foi uma honra lutar contra Anthony e muito gratificante não ter trash talk na nossa convivência", disse Jones, elogiando Smith.

Em outra luta que valia cinturão, o do peso meio-médio (até 77,1kg), o nigeriano Kamaru Usman se tornou o primeiro africano campeão do UFC ao superar Tyron Woodley também por decisão unânime dos árbitros, tendo utilizado com êxito seu jogo de wrestling e golpes no corpo do rival.

Woodley (19 vitórias, 4 derrotas e um empate) era campeão desde julho de 2016 e defendeu o cinturão quatro vezes, mas Usman (15 vitórias e 1 derrota) e dominou a luta. O nigeriano ganhou por 50 a 44 para dois juízes e por 50 a 45 para outro.

"Se você acha que vou usar o wrestling, então eu vou te golpear em pé. Se acha que vou te golpear, então eu vou te agarrar. Eu os confundo e então eu os quebro. Isso é o MMA por uma razão e eu sou o melhor. Sou o campeão", celebrou o nigeriano.

BRASILEIROS

Também no UFC 235, o peso galo (até 61,2kg) brasileiro Pedro Munhoz nocauteou de modo avassalador o ex-campeão da categoria Cody Garbrandt. Ele derrubou o rival com um cruzado de esquerda após uma troca franca de golpes, mas o norte-americano se recuperou inicialmente. Só que logo depois acertou um outro cruzado para levar o rival à lona no fim do primeiro round e conquistar a quarta vitória consecutiva, já pensando a sonhar com uma luta pelo cinturão.

Na programação preliminar, o meio-pesado brasileiro Johnny Walker venceu Misha Cirkunov por nocaute técnico aos 36s, após acertar uma joelhada voadora. Já a peso palha Polyana Viana (até 52,2kg) perdeu para a norte-americana Hannah Cifers por decisão dividida dos juízes (29 a 28, 28 a 29 e 29 a 28).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.