Sergei Belski/USA Today Sports
Sergei Belski/USA Today Sports

José Aldo comemora vitória e fim do jejum: 'Uma das mais importantes da carreira'

Brasileiro bateu adversário ainda no primeiro round, voltou a vencer no UFC e foi às lágrimas

Estadão Conteúdo

29 de julho de 2018 | 10h58

O lutador brasileiro José Aldo considerou a vitória sobre o norte-americano Jeremy Stephens por nocaute como uma das mais importantes da carreira. O triunfo em duelo disputado na noite de sábado, no UFC Calgary, no Canadá, encerrou um jejum de dois anos sem triunfos do ex-campeão do peso-pena.

+ José Aldo nocauteia norte-americano e volta a vencer no UFC após dois anos

+ Com neto de Servílio, clã Oliveira festeja 50 anos de glória no boxe

+ Alexia Castilhos fatura bronze para o Brasil no Grand Prix de Zagreb

"Sim, considero uma das mais importantes. Estava todo mundo querendo saber como eu iria me portar. Mostrei meu valor, mostrei daquilo que sou capaz. Era uma pressão grande, e eu sabia que tudo dependia de mim", afirmou em entrevista coletiva.

José Aldo acertou o rival americano com um soco na linha da cintura já no primeiro round. O brasileiro aproveitou a queda e foi para cima do adversário para finalizar a luta com uma sequência de socos. Em seguida, o árbitro encerrou o confronto por nocaute técnico e o ex-campeão foi às lágrimas.

"Vim de duas derrotas, tinha perdido o cinturão, logo em seguida tive a revanche e não fui feliz. Estava me sentindo pressionado. Graças a Deus tenho uma equipe maravilhosa, que me dá o suporte necessário para eu voltar e vencer. Fiquei bem feliz pelo apoio e pelo carinho que recebi dos meus amigos de treino", disse.

Aldo não vencia desde 2016. No ano passado, ele perdeu para Max Holloway em disputa pelo cinturão. Antes disso, em 2015, sofreu um duro revés ao perder para Conor McGregor em poucos segundos no octógono.

Além disso, José Aldo não conseguia um nocaute técnico desde 2013, quando derrotou o sul-coreano Chan Sung Jung, no Rio de Janeiro. A vitória foi dedicada à filha Joana, que completará seis anos nesta segunda-feira.

"A pressão estava grande por isso, tinha que dar uma vitória para ela. Esse era o presente que eu queria dar para ela. Agora há pouco falei com ela no vídeo e ela estava pulando de alegria. Não tem nada mais feliz na vida do que o pai dar esse carinho para o filho, e ela se sentir como agora", disse o lutador.

O brasileiro tem ainda mais quatro lutas no contrato com o UFC e cogita se aposentar na sequência. Mas em grande estilo. "Mostrei que estou vivo na categoria, com fome de luta, querendo ser campeão de novo. Mereço estar sempre nas cabeças. Tenho um contrato e espero finalizá-lo sendo campeão", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.