AFP PHOTO/Toshifumi Kitamura
AFP PHOTO/Toshifumi Kitamura

Judô do Brasil vai à Hungria com Guilheiro, Rafaela e volta de Nathália Brígida

Nathália não participa de um evento internacional desde 2016, devido a uma lesão no ombro

Estadão Conteúdo

07 Agosto 2018 | 12h49

A delegação que vai representar o Brasil no Grand Prix de Budapeste começou a viajar nesta terça-feira para a Hungria, onde a competição vai ser realizada de sexta até domingo. Serão 15 lutadores do País no evento, sendo que Leandro Guilheiro, Nathália Brígida e Rafaela Silva são as principais atrações.

Por causa de uma lesão no ombro, Nathália Brígida (48kg) precisou se afastar dos tatames por um longo período. E a sua última participação em um evento internacional foi em 2016, quando ela faturou a medalha de bronze no Grand Prix de Abu Dabi.

Rafaela Silva, por sua vez, vai aproveitar o Grand Prix de Budapeste como mais uma etapa da sua preparação ao Mundial. E além delas, o Brasil será representado no naipe feminino por Kamilla Silva (57kg), Yanka Pascoalino (63kg), Ellen Santana (70kg), Amanda Oliveira (70kg) e Nathália Parisoto (78kg).

Com 35 anos completados nesta terça-feira e dono de duas medalhas de bronze olímpicas, Leandro Guilheiro (81kg) será um dos representantes masculinos do Brasil no Grand Prix de Budapeste. E os outros vão ser Raphael Miaque (60kg), Diego Santos (66kg), Marcelo Contini (73kg), Lincoln Neves (73kg), João Pedro Macedo (81kg), Renan Nunes (100kg) e Felipe Bezerra (100kg).

Os judocas que vão lutar na sexta-feira - Brígida (48kg), Rafaela (57kg), Kamilla Silva (57kg), Raphael Miaque (60kg) e Diego Santos (66kg) -, viajaram nesta terça para a Hungria. Na quarta, embarcam os que vão competir no sábado - Yanka Pascoalino (63kg), Ellen Santana (70kg), Amanda Oliveira (70kg), Marcelo Contini (73kg), Lincoln Neves (73kg), Guilheiro (81kg) e João Pedro Macedo (81kg). Já Nathália Parisoto (78kg), Renan Nunes (100kg) e Felipe Bezerra (100kg), representantes do Brasil no domingo, seguirão para Budapeste na quinta.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.