Divulgação/IJF
Divulgação/IJF

Judoca Maria Portela fatura medalha de prata para o Brasil em Grand Prix turco

Na decisão, brasileira foi superada pela grega Elisavet Teltsidou ao ser surpreendida com um ippon

Redação, Estadão Conteúdo

06 de abril de 2019 | 21h14

A judoca Maria Portela conquistou neste sábado a medalha de prata do Grand Prix de Antalya, na Turquia, onde garantiu ao Brasil a segunda medalha na competição que começou a ser disputada na sexta-feira. No primeiro dia de lutas do evento, Larissa Pimenta havia faturado um bronze para o País na categoria meio-leve (52kg).

Cabeça de chave número 1 da categoria 70kg feminina em Antalya, Maria Portela estreou direto nas oitavas de final e abriu sua campanha com vitória sobre a bósnia Aleksandra Samardzic, superada ao ser penalizada pela arbitragem com punições por falta de combatividade.

Já nas quartas de final, a brasileira derrotou a eslovena Anka Pogacnik com um waza-ari. Assim, ela se garantiu na luta que valeu vaga na decisão do ouro e voltou a brilhar ao vencer a venezuelana Elvismar Rodriguez por ippon, o golpe perfeito.

Na final, porém, Maria Portela acabou sendo batida pela grega Elisavet Teltsidou. A judoca do Brasil chegou a conseguir forçar duas punições à adversária nos primeiros minutos do combate, mas depois foi surpreendida com um ippon aplicado pela sua adversária. Apesar deste revés, ela festejou a medalha de prata na competição turca.

"Primeiro, gostaria de agradecer ao pessoal do Brasil que está sempre torcendo, quem treina comigo e me apoia sempre. Esse Grand Prix tinha boas adversárias, estava um pouco mais forte do que o de Tbilisi (na Geórgia). Eu fiz uma tática e consegui aplicá-la durante as lutas. Estou saindo feliz, apesar de ter perdido a final. Estou feliz por estar no pódio mais uma vez. Tem um longo caminho até 2020, mas cada passo é importante", disse Portela, em declarações reproduzidas pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

OUTROS BRASILEIROS

Outros cinco judocas representaram o Brasil neste segundo dia de disputas em Antalaya, mas nenhum deles conseguiu chegar ao pódio. O segundo melhor resultado do dia para o País foi conquistado pela meio-médio Alexia Castilhos (63kg), que terminou em sétimo lugar após ser eliminada na repescagem pela venezuelana Ariquelis Barrios.

Antes disso, Alexia passou pela sérvia Anjia Obradovic e pela chinesa Cuijuan Shi por ippon nas preliminares. Nas quartas de final, porém, ela foi superada pela britânica Alice Schlesinger e depois também não teve sucesso na repescagem.

Ellen Santana, que vinha de dois ouros nos Abertos de Lima e Santiago, não conseguiu repetir o bom desempenho na Turquia, onde neste sábado perdeu na primeira luta para a campeã europeia Kim Polling, da Holanda.

Entre os homens que competiram neste sábado, Eduardo Yudy (81kg) e Marcelo Contini (73kg) estrearam com vitórias, mas depois caíram nas oitavas de final. O primeiro deles abriu campanha derrotando o checo Jaromir Musil por ippon, mas não passou em seguida pelo montenegrino Nebojsa Gardasevic. Contini, por sua vez, acumulou triunfos por ippon sobre o norte-americano Nicholas Delpopolo e o romeno Victor Sterpu, mas nas oitavas acabou sendo eliminado pelo mongol Odbayar Ganbaatar.

Já Guilherme Schimidt (81kg), de apenas 18 anos, fez neste sábado a sua estreia em competições sênior do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô (IJF, na sigla em inglês) e foi batido na estreia por Murad Fatiyev, do Azerbaijão.

Neste domingo, o Brasil vai fechar a sua participação em Antalya com mais seis judocas nos tatames: Beatriz Souza (+78kg), Rafael Macedo (90kg), Gustavo Assis (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg), Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.