Getty Images
Getty Images

Lesão tira Cain Velásquez de luta com Werdum, que ataca Cigano

UFC confirma que o lutador mexicano está fora do confronto com o brasileiro

Redação, Estadão Conteúdo

25 de dezembro de 2016 | 10h29

O UFC confirmou neste fim de semana que o mexicano Cain Velásquez está fora do UFC 207, que acontecerá na próxima sexta-feira, em Las Vegas. O lutador teve diagnosticada uma lesão nas costas, não passou por exames médicos realizados no sábado e, por isso, foi vetado do combate com o brasileiro Fabrício Werdum.

"Foi uma surpresa. Eu estava treinando. Achei até estranho, porque o Cain já havia anunciado que faria uma cirurgia após a luta. Ninguém anuncia a cirurgia antes de luta. Ele já tem antecedentes. Ele já não lutou comigo no México", lembrou Werdum, em entrevista ao SporTV.

De fato, esta é a terceira vez que um combate entre o brasileiro e Velásquez é cancelado por uma lesão do mexicano. Werdum esperava vencer o rival para ficar mais próximo de uma oportunidade de lutar novamente pelo cinturão dos pesados, hoje nas mãos de Stipe Miocic, mas terá que aguardar uma próxima oportunidade, já que pelo pouco tempo disponível para achar outro adversário, foi retirado do evento.

Se o brasileiro se mostrou decepcionado com Velásquez, as palavras a um conterrâneo foram ainda mais duras. Werdum atacou fortemente Júnior Cigano, que chegou a dizer publicamente que estaria "pronto" para uma luta com ele. O lutador disse que Cigano está obcecado por ele e chegou a questionar a sexualidade do compatriota.

"Os fãs estão dizendo que ele é invejoso. Eu nem acho isso. Não tenho nada contra os homossexuais, mas acho que o Cigano 'corta para os dois lados'. Acho que ele gosta de mim, faz tempo. Não sei qual é a dele. Não sei se é a rivalidade. Ele ganhou de mim uma vez, em 2007, mas continua com o mesmo jogo. Eu mudei completamente. Tenho só um recado para dar ao Cigano: sou casado, pode procurar outro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.