Steve Marcus|AP
Steve Marcus|AP

McGregor comenta 'guerra civil' com UFC e ironiza Mayweather

Irlandês reclama de repercussão por ausência no UFC 200

Estadão Conteúdo

22 de maio de 2016 | 17h27

Conor McGregor é campeão do peso-pena no UFC, a principal organização de MMA (artes marciais mistas, em inglês), mas cada vez mais tem se envolvido em polêmicas com a companhia. Na sua primeira entrevista publicada desde que foi afastado do UFC 200, publicada pela ESPN norte-americana neste domingo, o lutador anunciou que foi feita uma "guerra civil" com o assunto e que ele buscava apenas reduzir a agenda publicitária à qual foi submetido.

McGregor, de 27 anos, é conhecido por sempre causar polêmicas com seus adversários, mas se recusou a comparecer a um evento antes do UFC 200, no qual ele defenderia o cinturão contra Nate Diaz. Dana White, então, suspendeu o lutador.

Para o irlandês, era necessário ter bom senso no número de eventos. "Eu estava passando por algumas coisas loucas em casa. Eu queria estar focado no meu treinamento. Não é que eu disse 'não' para qualquer coisa. Eu queria fazer mídia de maneira razoável", disse.

"Vendo as entrevistas coletivas (do UFC), eu pensei que deveria ter pego um avião para lá. Mas às vezes você tem de fazer o que é bom para si, e não o que é o certo para todo mundo. Especialmente se você tiver feito o que é certo para todo mundo um milhão de vezes. Você deveria ter o direito de fazer o que é bom para você às vezes. Foi isso o que eu senti", acrescentou.

A luta contra Diaz seria uma revanche após a derrota sofrida em março, que encerrou uma sequência de 15 vitórias consecutivas, mas que aconteceu em uma categoria de peso combinada e não valeu cinturão.

Na entrevista, McGregor afirmou que continua "comprometido com o jogo" e se encontrou com os dirigentes do UFC na última semana para amenizar o relacionamento. McGregor e Diaz podem possivelmente ter uma revanche no UFC 202, em agosto.

Ele ainda aproveitou para cutucar o ex-campeão de boxe Floyd Mayweather, que está aposentado, contra quem a imprensa norte-americana sugeriu uma luta. "Quem não quer conquistar os dois mundos? Ele está ficando velho agora. Mas é ele que precisa de mim, não o contrario. Contra quem mais ele pode lutar?", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCMMADana WhiteFloyd Mayweather

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.