Joe Camporeale/USA Today
Joe Camporeale/USA Today

'Me sinto como se tivesse 25 anos', diz Pacquiao antes de defesa de título

Filipino encara americano Adrien Broner neste sábado, em Las Vegas, no ringue do MGM Hotel

Wilson Baldini Jr., Estadão Conteúdo

18 de janeiro de 2019 | 22h51

O filipino Manny Pacquiao defende o título mundial dos meio-médios (até 66,678kg), versão Associação Mundial de Boxe (AMB), neste sábado, em Las Vegas, no ringue do MGM Hotel, diante do norte-americano Adrien Broner.

Esta vai ser a segunda defesa de título de Pacquiao, que se sagrou campeão em julho, ao derrotar o argentino Lucas Matthysse. Aos 40 anos, o maior ídolo das Filipinas soma cinturões mundiais em oito categorias. "Eu me sinto como se tivesse 25 anos. Ainda tenho condições de aumentar meu legado", afirmou o pugilista, nesta sexta-feira, durante a pesagem.

Uma derrota deve encerrar a carreira de Pacquiao, um dos maiores nomes do boxe do século 21, protagonista em duelos extraordinários frente a Marco Antonio Barrera, Juan Manuel Marquez, Miguel Cotto e tantos outros.

Já uma vitória vai deixar "Pacman" como um dos grandes alvos entre os maiores meio-médios atuais. Keith Thurman, Shawn Porter, Danny Garcia, Errol Spence Jr. são alguns dos nomes cotados para encarar o filipino ainda este ano.

Pacquiao assinou contrato com a PBC (Premier Boxing Champions), empresa de Al Haymon, mentor de Floyd Mayweather. Muitos críticos acreditam que ainda possa ser acertado um segundo duelo entre Pacquiao e Mayweather. Em maio de 2015, o norte-americano saiu vitorioso.

Broner tem o apelido de "Problema" por ser um grande lutador, mas por ser também um grande encrenqueiro. Com pouco mais de 25 anos, já somava quatro títulos. Mas suas prisões e brigas são muito mais constantes em sua vida. No início do próximo mês deverá se apresentar a um tribunal por causa de dois processos. "Vou mostrar meu potencial para vencer Pacquiao e iniciar um novo momento em minha carreira", afirmou o americano.

Pacquiao soma 60 vitórias (39 nocautes), sete derrotas e dois empates, após 24 anos de carreira profissional. Ele também é Senador em seu país, coronel do exército e sonha em ser presidente.

Aos 29 anos, Broner soma 33 vitórias (24 nocautes), três derrotas e um empate. Sua bolsa será de US$ 2,5 milhões, enquanto Pacquiao vai receber US$ 10 milhões.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.