Dean Mouhtaropoulos/Zuffa/UFC
Dean Mouhtaropoulos/Zuffa/UFC

Bisping acha que revanche com Anderson Silva não venderia e ironiza brasileiro

Campeão do peso-médio do UFC critica decisão da arbitragem após vitória do Spider conta Derek Brunson

O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2017 | 08h50

Atual dono do cinturão do peso-médio do UFC, Michael Bisping não poupou criticas aos brasileiro Anderson Silva após a contestada vitória sobre Derek Brunson no UFC 208. O inglês disse que o público que assistiu à luta foi sacaneado e acusou o brasileiro de não conseguir manter o peso sem se dopar.

"Não (achei que Anderson venceu), achei que ele perdeu. Acho que dá para argumentar que ele venceu, mas fiquei decepcionado. Acho que o Anderson sacaneou a si mesmo, a todos no público e ao UFC. Estava óbvio que o Anderson era o melhor lutador, ele defendeu a maioria das quedas, mas quando decidiu apertar o gatilho e jogar algo, ele dominou o Brunson, mas ele não apertou o gatilho, ficou parado lá fazendo as coisas de sempre do Anderson", disse ao The MMA Hour

"Ele não tem senso de urgência porque é o "grande Anderson Silva". Infelizmente, isso não é bom o suficiente. Ele teve muita sorte com a decisão e acho uma infelicidade, porque, como todos, sou fã do Anderson Silva e vejo suas lutas, e sinto que ele não fez justiça à sua legião de fãs", completou.

Apesar do pedido do Spider para uma revanche, Michael Bisping descartou qualquer possibilidade. "Eu enfrentaria o Anderson Silva, mas acho que isso não venderia, não depois do último fim de semana". Os dois se enfrentaram no UFC Fight Night 84, em fevereiro de 2016, quando Anderson foi dominado e acabou derrotado.

Até mesmo a forma física do brasileiro não passou despercebida por Bisping, que aproveitou para lembrar o problema com doping que passou o antigo campeão do peso-médio do Ultimate. "Ele pareceu mais magro e com mais pneuzinhos, é estranho. É estranho o que acontece quando você não toma esteroides".

Mais conteúdo sobre:
UFC Anderson Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.