Reprodução
Reprodução

Em retorno, Hollyfield baiano é derrotado na 'Luta do Século'

Após 6 rounds, baiano perde nos pontos para 'Todo Duro'

O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2015 | 08h55

Quatro anos após ter a maioria do corpo queimado em um incêndio, o pugilista baiano Reginaldo Hollyfield voltou aos ringues nesta terça-feira. O combate foi contra seu maior rival, o pernambucano Luciano "Todo Duro", em Recife. Ao final dos seis rounds, o dono da casa se deu melhor e saiu vitorioso na decisão do juízes.

Com o triunfo, "Todo Duro" contabiliza agora quatro vitórias, contra três de Hollyfield. Um novo combate, que pode ser o último da carreira de ambos, deverá acontecer em Salvador, terra natal de Reginaldo, em dezembro.

Hollyfield exaltou seu esforço e ainda disparou contra o adversário. "Superei os problemas que tive (a exemplo das queimaduras), vim na casa dele, lutei e saio sem ser nocauteado. 'Todo Duro' sabe que ganhou com a ajuda do árbitro." Ao final da luta, boa parte dos cerca de 5 mil espectadores subiram no ringue, fazendo-o desabar.

Comparado com os embates nos anos anteriores, a luta sediada no Clube Português foi bem menos técnica, mas não menos movimentada. Logo nos primeiros minutos Hollyfield derrubou "Todo Duro", mas o juiz considerou o golpe ilegal e não abriu contagem. 

O baiano seguiu mais contundente nos dois rounds seguintes, conectando alguns golpes, mas nenhum suficiente para fazer o adversário ir à lona novamente. O enfrentamento, porém, virou a partir da terceira parcial, quando "Todo Duro" parecia mais inteiro que Hollyfield, que se esforçou para perder cerca de 20kg para a luta. 

No quarto assalto, o baiano foi penalizado pelo juiz após deixar seu protetor bucal cair seguidas vezes. O córner de Hollyfield alegou que a peça caía em função dos golpes que sofria e não se tratava de catimba, como interpretou o árbitro. 

Esgotados, os boxeadores foram para o tudo ou nada nos dois últimos períodos. Duros golpes foram desferidos por ambas as partes. Ao soar do gongo, os juízes deram a vitória ao anfitrião. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.