Jasen Vinlove/USA Today Sports
Jasen Vinlove/USA Today Sports

Overeem nocauteia Harris no UFC em Jacksonville; Claudia Gadelha vence americana

Holandês quase é derrotado, mas se recupera com combinação potente no segundo round e só para quando juiz interrompe a luta

Redação, Estadão Conteúdo

17 de maio de 2020 | 09h38

Alistair Overeem está de volta ao caminho das vitórias. O veterano holandês chegou a ficar perto de ser derrotado, mas se recuperou e conseguiu venceu o norte-americano Walt Harris por nocaute técnico no segundo round da luta principal do UFC em Jacksonville, nos Estados Unidos. Foi o terceiro evento do Ultimate durante a pandemia do novo coronavírus.

Harris mostrou maior velocidade no início e, em um momento de guarda baixa do oponente, acertou Overeem em cheio no queixo com um cruzado. O holandês caiu no chão e passou a ser castigado. No entanto, teve forças para se recuperar dos golpes e ficou de pé.

Depois disso, o holandês aproveitou um vacilo do rival e o levou para o solo, mantendo-se firme e desferindo golpes em sequência até o fim do primeiro round. No segundo assalto, Overeem acertou um chute alto, seguido de um forte golpe de esquerda que deixou Harris atordoado. Ele, então, foi para cima e acertou diversos golpes até o juiz interromper o duelo.

"Existem duas coisa em que estou focado: uma nova disputa de cinturão e o fim da minha carreira. Walt é um cara legal e é horrível o que ele passou. Hoje eu trouxe minha melhor versão para o Octógono. Temos que nos manter firmes em cima do cavalo durante os momentos de adversidades e espero que o Walt consiga se manter assim. Tiro meu chapéu para ele. Tem todo o meu respeito", disse Overeem após a luta.

Bastante emocionado, Harris agradeceu o apoio de todos os que mandaram mensagens. Recentemente, ele passou por um pesadelo pessoal ao ter sua filha sequestrada e assassinada. Ele ganhou fãs em todo o mundo e só não teve seu nome gritado pois o evento foi realizado com os portões fechados, medida de segurança para evitar o contágio da covid-19.

Na segunda luta mais importante da noite, Claudia Gadelha levou a melhor sobre Angela Hill. A brasileira, que, em meio à pandemia teve de improvisar e se preparou para a luta treinando na garagem de sua casa, conseguiu a vitória por decisão dividida dos juízes.

O combate foi muito equilibrado e Gadelha precisou se superar para derrotar a norte-americana. A brasileira peso-palha dominou o começo do confronto, usando bem as quedas, mas sofreu um knockdown no segundo round e se mostrou exausta no último assalto. No entanto, conseguiu segurar a oponente e saiu vitoriosa.

"Venho lutando faz muito tempo, sou uma das pioneiras do esporte. Hoje eu lutei nessa época difícil e vocês me viram superar uma grande adversidade. Mostrei muita raça e muita vontade de viver. Sou uma mulher forte, vinda do nordeste brasileiro", celebrou a nordestina de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

OUTROS BRASILEIROS

Outros dois brasileiros entraram em ação neste sábado em Jacksonville. Pelo card principal, em sua estreia no peso-pena, Edson Barboza foi derrotado pelo norte-americano Dan Ige por decisão dividida dos juízes. A luta foi muito parelha e dois dos três juízes deram a vitória ao havaiano.

No card preliminar, Rodrigo Zé Colmeia, estreante no UFC, fez bonito e finalizou o norte-americano Don'Tale Mayes com um mata leão no segundo round. O brasileiro peso-pesado se mostrou muito confortável durante todo o combate, conseguiu a queda, foi para as costas e conquistou a vitória de forma incontestável, mantendo-se invicto na carreira. Agora são oito triunfos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.