Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Steve Marcus| Reuters
Steve Marcus| Reuters

Pacquiao derrota Vargas e fatura cinturão após breve aposentadoria

A convite do filipino, Floyd Mayweather acompanhou luta da primeira fila

Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2016 | 09h49

Após breve período de aposentadoria neste ano, o filipino Manny Pacquiao voltou aos ringues na madrugada deste domingo, em Las Vegas, e não decepcionou os fãs. Derrotou o norte-americano Jessie Vargas e faturou o cinturão da categoria meio-médio da Organização Mundial de Boxe. O confronto contou com a ilustre presença de Floyd Mayweather na primeira fila, a convite do próprio Pacquiao.

O boxeador de 37 anos venceu o rival dez anos mais novo por decisão unânime dos juízes: 118-109, 118-109 e 114-113. Com a vitória, elevou seu retrospecto para 59 triunfos, dois empates e seis derrotas. Vargas, por sua vez, soma 27 vitórias e agora duas derrotas.

Apesar da idade e da aposentadoria, anunciada em abril e finalizada em agosto, o lutador filipino dominou o combate e exibiu força e energia ao longo de toda a luta. "Em todos os rounds o meu objetivo foi chegar ao nocaute, mas estou feliz pela maneira como eu lutei durante todo o confronto", avaliou Pacquiao.

Sobre o seu futuro, o filipino manteve a conhecida discrição. "A próxima? Eu vou voltar para as Filipinas para seguir com meu trabalho como senador", despistou. "Não sei quem será, será quem quiser lutar comigo. Quem se interessar será meu adversário."

Questionado sobre Mayweather, Pacquiao confirmou que fez o convite ao rival para assistir seu retorno. Mas desconversou sobre um possível novo confronto entre eles. O americano se aposentou neste ano, após derrotar o filipino no ano passado. Uma revanche entre eles é assunto constante no mundo do boxe, porém com chances remotas de acontecer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.