FELIPE RAU/ESTADAO
FELIPE RAU/ESTADAO

'Pela primeira vez foi tirado do campeão real injustamente o título', afirma Charles do Bronx

Em entrevista ao programa 'Esporte Espetacular', brasileiro analisa os últimos dias, desde a perda do título na pesagem até a vitória sobre Justin Gaethje, e deixa recado de que o 'campeão ainda se chama Charles Oliveira'

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2022 | 19h26

A última semana de Charles do Bronx foi atípica. Planejado para defender seu cinturão do UFC contra o americano Justin Gaethje, o brasileiro se tornou o primeiro lutador, na história da organização, a perder o título ainda na pesagem oficial, na sexta-feira. 200 gramas acima do limite da categoria peso-leve (até 70,3 kg), a decisão polêmica e contestada do UFC inflamou o atleta para o combate que ocorreu no sábado, em Phoenix, Arizona.

Na luta principal do UFC 274, Charles derrotou, ainda no primeiro round, o americano Gaethje e reconquistou a oportunidade de recuperar o cinturão em sua próxima luta. Com a vitória, Do Bronx acumulou sua 11ª de forma consecutiva na categoria e é um dos maiores nomes do UFC na atualidade.

Uma semana após do combate, e apesar de sair vitorioso, o brasileiro não esconde a insatisfação e mágoa pelo resultado da pesagem, que o fez perder seu cinturão. Em entrevista que irá ao ar neste domingo, no "Esporte Espetacular", Charles analisa a decisão do UFC e seus próximos passos dentro do octógono.

"O UFC fez muita coisa por mim, eu fui muito grato por tudo, mas a Comissão Atlética foi errada comigo. Agora é voltar para casa, digerir um pouco tudo isso que vem acontecendo e ficar com a minha família. Pela primeira vez o campeão real foi tirado o cinturão injustamente. Essa é real. Mas eu mostrei na noite de sábado que o campeão ainda se chama Charles Oliveira", afirma Charles. Após a luta, provocou Connor McGregor e Nate Diaz, ao dizer que poderia "enfrentar os dois na mesma noite".

Para sua próxima luta, que deve acontecer em novembro, Charles não esconde que gostaria que ela fosse realizada no Brasil. Sem adversário definido, Islam Makhachev e Beneil Dariush, que se enfrentam em outubro, são alguns dos cotados. "Eu creio muito que vou lutar em dezembro de novo e aí poderei reconquistar o cinturão. Eu não estou indo para uma disputa de cinturão, e sim, para uma defesa".

No dia 15 de maio, quando a entrevista irá ao ar, completará um ano desde sua conquista do cinturão, obtido após derrotar o americano Michael Chandler. Maior finalizador da história do UFC, com 16 no total, Charles agora busca reconquistar seu título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.