Patrick Hamilton/AFP
Patrick Hamilton/AFP

Promotores avisam que revanche entre Pacquiao e Horn não ocorrerá em 2017

Australiano superou o filipino em polêmica decisão unânime dos árbitros em Brisbane, em 2 de julho

Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2017 | 09h24

Manny Pacquiao não vai enfrentar o australiano Jeff Horn em uma revanche pelo título mundial dos meio-médios da Organização Mundial de Boxe (OMB) neste ano porque o filipino estará ocupado com as suas obrigações como senador. A indisponibilidade de Pacquiao para a revanche proposta para ser disputada em 12 de novembro foi confirmada nesta sexta-feira pelos promotores australianos da luta.

Horn bateu Pacquiao em uma polêmica decisão unânime dos árbitros em Brisbane, na Austrália, em 2 de julho. O filipino, na época, disse que queria uma revanche. "Em nome do governo das Filipinas, ele (Pacquiao) será parte da delegação que visitará a China no meio do período proposto de preparação para a luta", disse o promotor australiano Dean Lonergan. "Pacquiao está comprometido a lutar novamente em 2018 em uma revanche com Jeff Horn pelo título mundial da OMB dos meio-médios".

O desafiante norte-americano Jeff Vargas, que já foi campeão mundial, pode pegar o lugar de Pacquiao para uma luta com Horn no final deste ano, disseram os promotores. O filipino superou Vargas por decisão unânime em novembro de 2016, em Las Vegas.

Após a derrota para Horn, Pacquiao declarou que discordava do resultado apontado pelos juízes, ainda que uma reavaliação independente da luta tenha confirmado o triunfo de Horn.

Naquela oportunidade, três juízes independentes confirmaram o triunfo do australiano, um apontou a vitória de Pacquiao e outro pontuou a luta como empate. A revisão concluiu que Horn venceu sete rounds, enquanto Pacquiao ganhou cinco na luta disputada em Brisbane e que foi acompanhada por 51 mil pessoas no Suncorp Stadium, em Brisbane.

Tudo o que sabemos sobre:
BoxeManny Pacquiao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.