Ricardo Valarini / Inovaphoto / UFC
Ricardo Valarini / Inovaphoto / UFC

Resultados do UFC São Paulo: Renan Barão é massacrado e fica em situação delicada

No card preliminar do evento, ex-campeão perde para Douglas Silva de Andrade; Warlley Alves também é derrotado

Andreza Galdeano e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2019 | 22h00

Até fevereiro de 2014, Renan Barão tinha 32 vitórias seguidas na carreira e tinha o cinturão dos galos do UFC. Mas depois disso acabou não se encontrando mais, teve problemas para bater o peso antes de algumas lutas e acumulou duas vitórias e oito derrotas. A última neste sábadao, quando foi massacrado por Douglas Silva de Andrade no UFC São Paulo, no ginásio do Ibirapuera.

Com os resultados negativos, Barão foi perdendo cartaz no Ultimate, tanto que disputou a terceira luta do card preliminar, de pouco prestígio, e mesmo assim não mostrou serviço. Além de derrotado, saiu bastante machucado do octógono. Com a derrota, sua trajetória no UFC pode ter chegado ao fim e não será surpresa se ele for dispensado por Dana White.

"Eu havia prometido que seria uma luta cheia de ação e acho que consegui cumprir com isso. Dei um show para o público. Agradeço ao UFC por acreditar no meu trabalho. E foi uma grande honra lutar contra o Renan Barão, um atleta que eu sempre admirei, sempre fiz questão de assistir às suas lutas. Ele é um ex-campeão, deixou um legado e merece todos os créditos", disse Douglas.

Nos duelos entre brasileiros contra estrangeiros, Ricardo Ramos ganhou do uruguaio Eduardo Garagorri por finalização e Francisco Massaranduba superou Bobby Green por decisão unânime. Já Warlley Alves acabou sendo derrotado por Randy Brown e Serginho Moraes perdeu para James Krause por nocaute.

No combate com Isabela de Pádua, Ariane Lipski ganhou por decisão unânime, mas foi bastante vaiada pelo público. Apesar de sua superioridade nítida no duelo, ela quase foi finalizada no segundo round e chegou a bater, mas a arbitragem não viu. Para sorte dela o tempo acabou e ela se recuperou no terceiro round e confirmou a vitória.


"Aquilo não era nem uma chave de finalização. Eu treino jiu-jítsu e participo de torneios de jiu-jítsu. Aquilo era um triângulo invertido e eu só estava tentando sair. Ela não estava me travando em nada, não existe finalização naquela posição", comentou Ariane, que lamentou ter sido vaiada pelo público no ginásio do Ibirapuera.

"Muitos me vaiaram, mas ninguém sabe o que se passa por trás. Eu bati o peso, fiz minha parte. Treinei quatro meses, minha oponente mudou quatro vezes durante o meu camp. Eu aceitei essa luta faltando um dia, poderia não ter aceitado, mas topei porque me preparei muito. Eu dei o meu melhor, sei que venci todos os rounds, mas também sei que não dá para agradar todo mundo", continuou.

Já Tracy Cortez ganhou também por decisão unânime de Vanessa Melo na primeira luta da noite. Ele assimilou bem os golpes que sofreu, acertou algumas vezes sua adversária e teve mais força na luta no chão e na grade. "É incrível a energia dos fãs no Brasil, estou me sentindo muito feliz", comentou.

CARD PRELIMINAR DO UFC SÃO PAULO

  • James Krause venceu Sergio Moraes por nocaute a 4min19s do 3º round
  • Ricardo Ramos venceu Eduardo Garagorri por finalização a 3min57s do 1º round
  • Francisco Massaranduba venceu Bobby Green por decisão unânime
  • Randy Brown venceu Warlley Alves por finalização a 1min22s do 2º round
  • Douglas Silva de Andrade venceu Renan Barão por decisão unânime
  • Ariane Lipski venceu Isabela de Padua por decisão unânime
  • Tracy Cortez venceu Vanessa Melo por decisão unânime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.