Ronaldo 'Jacaré' vê luta com Mousasi como trampolim para o título

Atleta capixaba tentará vingar derrota sofrida para o armênio em 2008 e garantir disputa de cinturão na categoria dos médios do UFC

Fernando Arbex, O Estado de S. Paulo

01 Setembro 2014 | 16h09

 O lutador capixaba Ronaldo Souza, o "Jacaré", espera ratificar a boa fase dele e neste sábado aumentar para sete sua série de vitórias. Prestes a disputar o combate principal do UFC Fight Night 50 contra o armênio Gegard Mousasi, o atleta terá conquistado seu quarto triunfo em quatro lutas na organização se passar pelo rival, sequência que ele acredita que o credenciaria a disputar o título da categoria dos médios do UFC (limite de 83,9 Kg).

"Vejo essa luta como muito difícil, que vai me impulsionar em direção ao cinturão. Estou bem fisicamente e a minha expectativa é a melhor possível", afirmou "Jacaré" ao Estado. Ex-campeão da divisão dos médios do Strikeforce - organização incorporada pelo Ultimate em 2011 -, o lutador de 34 anos prefere não fazer planos para depois do confronto, revanche de uma luta promovida pelo evento japonês Dream em setembro de 2008 - na ocasião, Mousasi venceu por nocaute no primeiro round.

"Se fosse pelo ranking, eu já deveria ter lutado pelo cinturão. Eu acredito que eu estou bem próximo desse meu objetivo, mas eu nem estou pensando muito nisso porque eu preciso vencê-lo antes", disse o capixaba, hoje o quarto colocado no ranking oficial da divisão dos médios do UFC. Ele está atrás de seus compatriotas Anderson Silva, Lyoto Machida e Vitor Belfort, este o próximo adversário do campeão Chris Weidman, em confronto marcado para o UFC 181, em 6 de dezembro.

Outra revanche programada para sábado terá o paulistano Charles Oliveira acertando as contas com o norte-americano Nik Lentz, pela categoria dos penas (limite de 65,7 Kg). Quando competiam entre os pesos leves (limite de 70,3 Kg), os atletas se enfrentaram em junho de 2011 e o combate acabou sem resultado, uma vez que o brasileiro se aproveitou de uma joelhada ilegal desferida acidentalmente para finalizar o rival com um "mata-leão" em seguida.

Aos 24 anos e indo já para sua 12ª luta no UFC, Charles se diz mais maduro nesse momento da carreira dele e prefere não projetar seu futuro na organização. "Quero sempre estar bem posicionado e enfrentar os melhores, não acho que eu estou longe deles. Mas meu foco é no Lentz. Depois dele, vou sentar com a minha equipe e ver o que tem pela frente", disse o 14° colocado no ranking oficial da categoria dos penas do Ultimate.

Em 2014, Charles "do Bronx", como é conhecido, venceu por submissão o inglês Andy Ogle e o japonês Hatsu Hioki. "Eu tinha o objetivo de ganhar três combates nesse ano e ganhei dois. Estou mais maduro, antes eu vencia duas seguidas e queria logo competir de novo", explicou o especialista em Jiu-Jitsu, que acumula seis vitórias por finalização no UFC - além da luta sem resultado com Lentz, ele perdeu quatro vezes no octógono.

Mais conteúdo sobre:
UFC

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.