Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Rose Volante defende cinturão pela primeira vez contra panamenha

Em Santos, brasileira enfrenta Lourdes Borbua nos pesos leves

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2018 | 07h00

A brasileira Rose Volante defende pela primeira vez o título mundial dos pesos leves, versão Organização Mundial de Boxe (OMB), neste sábado à noite, em Santos. A sua adversária na Arena Santos será a panamenha Lourdes Borbua, que ontem não acusou o peso limite. Com isso, o cinturão ficará vago caso Rose seja derrotada.

+ Tyson Fury anuncia que fará retorno ao boxe em junho

+ Blog do Baldini: informações da nobre arte

“Quero fazer uma boa luta. Estou preparada para manter o título e ganhar credibilidade com o público e com a imprensa. Vai ser muito legal lutar em casa”, disse a pugilista, de 35 anos, que começou a lutar há dez anos para emagrecer. Ela pesava 105 quilos e hoje subirá no ringue com 61 quilos.

Rose e Lourdes estão invictas. A brasileira soma 11 vitórias – seis nocautes. A panamenha não perdeu após oito combates. O SporTV 2 transmite a programação a partir das 20h. 

Rose Volante conquistou o título em 23 de dezembro do ano passado, na Argentina, ao bater a lutadora local Brenda Carabajal, por pontos, depois de dez assaltos em que teve domínio total do combate.

A vitória foi histórica, pois Rose se tornou a primeira brasileira a se sagrar campeã mundial pelas quatro grandes entidades do boxe. Além da OMB ainda existem o Conselho Mundial, a Associação Mundial e a Federação Internacional de Boxe.

Ela pretende lutar mais duas vezes este ano no País. Em 2019, existe a possibilidade de a brasileira tentar unificar o título dos pesos leves. Rose já foi sondada pela equipe do empresário britânico Eddie Hearn, que cuida da carreira da britânica Katie Taylor, pentacampeã mundial amadora e medalha de ouro na Olimpíada de Londres-2012, atual dona do cinturão pela Associação Mundial de Boxe.

Taylor faz combates em eventos importantes na Inglaterra e nos EUA. Um duelo com a irlandesa colocaria Rose em destaque no noticiário internacional, com chances de lutar em Wembley, em Londres, ou no Madison Square Garden, em Nova York. “Queremos que a Rose se torne um ídolo no Brasil. Ela precisa ficar conhecida. Ganhar lutas, espaço na mídia e aí vamos pensar em duelos de unificação”, disse o treinador Felipe Moledas.

Rose é paulistana, mas mora em Santos, onde treina com Moledas. Tem apoio da Memorial, de propriedade do empresário Pepe Altstut, de larga vivência no pugilismo nacional.

DESDE POPÓ

O boxe brasileiro volta a ter um campeão em ação em ringues nacionais. O último a defender o cinturão mundial foi Acelino Popó Freitas, em 2001, em Brasília, diante de Orlando Soto. Ele venceu por nocaute no primeiro assalto.

Eder Jofre, maior peso galo de todos os tempos, expôs o título dos penas do Conselho Mundial de Boxe, em Salvador, na Bahia, diante de Vicente Saldivar, em 1973, e também venceu por nocaute no quarto assalto.

Tudo o que sabemos sobre:
Organização Mundial de BoxeBoxe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.