Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Silvio Acácio assume presidência da CBJ e enaltece legado de Paulo Wanderley

Acácio sucede Paulo Wanderley Teixeira, que assumirá a vice-presidência do Comitê Olímpico do Brasil (COB)

Estadao Conteudo

31 de março de 2017 | 17h50

Aclamado no início de março como novo presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), para o quadriênio 2017-2021, Silvio Acácio Borges assumiu nesta sexta-feira a gestão da entidade. A cerimônia de posse foi realizada na sede administrativa da confederação, no Rio, com a presença dos colaboradores da CBJ.

Sílvio Acácio sucede Paulo Wanderley Teixeira, que assumirá a vice-presidência do Comitê Olímpico do Brasil (COB), e será o sétimo presidente da história da CBJ. Ex-presidente da federação catarinense da modalidade, ele contou com o apoio das 26 federações e do representante dos atletas, o judoca Luciano Correa.

"Ver a estrutura que a CBJ tem hoje, suas bases e a forma como os colaboradores trabalham, me dá tranquilidade para chegar aqui. Vim para trabalhar com vocês. Minha presença será constante aqui e espero que todos continuem com o mesmo foco em fazer o melhor para o judô brasileiro", comentou Sílvio Acácio, que terá como vice-presidentes José Nilson Gama, Danys Queiroz e Seloí Totti.

Já Paulo Wanderley, que assumiu após 15 anos de hegemonia do clã Mamede, também enalteceu o trabalho realizado em sua gestão. "Em 2001, assumimos a CBJ numa sala acanhada no centro do Rio. Nossa equipe era composta por três pessoas. Essa foi a situação que encontramos e, daí para frente vocês sabem a evolução que tivemos. Nossos atletas alcançaram resultados antes inimagináveis."

O ex-presidente afirmou, ainda, ter confiança na gestão de Silvio Acácio. "Eu confio nessa nova administração para seguirmos avançando. Saio com muita tranquilidade e com a certeza que fiz o melhor que pude, com dedicação, empenho, suando mesmo a camisa. Não tenho saudosismo e nem arrependimentos. Fecho uma etapa hoje, mas sei que ainda tem muito trabalho pela frente", completou Paulo Wanderley.

Tudo o que sabemos sobre:
JudôJudô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.