UFC 269: Charles do Bronx vence e Amanda Nunes é derrotada

UFC 269: Charles do Bronx vence e Amanda Nunes é derrotada

Brasileiro venceu Dustin Poirier por finalização a 1m02s do terceiro round, enquanto lutadora baiana perdeu para Julianna Peña a 3m26s do segundo

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2021 | 05h49

O paulista Charles do Bronx venceu por finalização o americano Dustin Poirier na luta principal do UFC 269. Realizado na noite de sábado, 11, em Las Vegas, o campeonato ainda surpreendeu com a derrota da brasileira Amanda Nunes para Julianna Peña, dos Estados Unidos.

Bronx finalizou Poirier com um mata-leão em pé, adicionando o oponente ao seu recorde de 14 finalizações no UFC. No primeiro round, o americano acertou chutes pesados, mas o brasileiro aplicou tanto chutes frontais quanto joelhadas no torso.

A disputa foi para o chão no segundo round, com Bronx por cima acertando cotoveladas ao longo de vários minutos. A 1m02s do terceiro round, o lutador do Brasil aplicou um mata-leão e selou sua décima vitória consecutiva. "Sou campeão mundial", disse o campeão de peso-leve. "Eu sou o cara. Eles falam, eu faço."

Já a luta coprincipal terminou em uma das maiores surpresas do MMA. Julianna Peña, que chegou a ter uma desvantagem em algumas apostas esportivas, derrotou Amanda Nunes para ganhar o cinturão peso-galo do UFC.

A americana venceu por finalização aos 3m26s do segundo round. Amanda, que acumulava uma sequência de 12 vitórias consecutivas e detinha o título desde julho de 2016, derrubou Julianna duas vezes no round inicial.

A rival da brasileira, no entanto, perseverou e, no segundo round, começou a aplicar muitos golpes. A brasileira reagiu, mas vacilou e Julianna manteve o ataque. Quase no fim da luta, a nova campeã então soltou Amanda e se posicionou para o mata-leão.

"Eu já disse: nunca mais duvide de mim", comemorou Julianna. "Vontade, força e determinação vão te levar a lugares." Amanda ainda detém o título peso-pena, conquistado em dezembro de 2018. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.