UFC/Site oficial
UFC/Site oficial

Vitória de José Aldo empolga McGregor e irlandês diz que deseja lutar no Brasil

Veterano nocauteou Renato Moicano no UFC Fortaleza, na madrugada deste domingo

Andreza Galdeano/ Fortaleza, O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2019 | 10h02

A vitória de José Aldo sobre Renato Moicano na madrugada deste domingo, no UFC Fortaleza, não empolgou apenas os fãs. Bastou o ex-campeão peso pena mostrar que ainda é um dos maiores lutadores da organização para Conor McGregor demonstrar interesse de uma possível revanche contra o brasileiro.

Pelo Twitter, o irlandês revelou o desejo de lutar no Brasil logo após o término do evento em Fortaleza. "Que atmosfera incrível no UFC Brasil nesta noite. Eu amaria lutar lá para todos os apaixonados fãs brasileiros em algum momento da minha carreira. Eu estive tão perto de fechar uma luta no Rio no ano passado, era um acordo certo! Talvez da próxima vez. Ui, vai morrer! Eu ainda estou aqui", publicou McGregor.

Um combate entre Aldo e McGregor no Brasil poderia acontecer em Curitiba, próxima sede do UFC no País em 2019. O local já é almejado pelo manauara, que tem apenas mais duas lutas no seu contrato com a organização. "Isso (lutar em Curitiba) seria lindo, uma ótima luta. Ainda mais se for na categoria de cima, sem que eu precise perder peso. Na primeira vez nem pudemos mostrar nosso trabalho", disse o brasileiro.

Os dois lutadores se enfrentaram em dezembro de 2015 em uma luta que ficou na memória dos fãs de MMA. Na ocasião, McGregor precisou de apenas 13 segundos para nocautear José Aldo.

Aldo também tem a opção de escolher outro adversário para o seu próximo combate, já que foi desafiado por Brian Ortega e Alex Volkanovski. "Vamos começar as negociações", disse Ortega. "Muito bem, José Aldo. Me avise se você tiver procurando uma reviravolta", completou Volkanovski. Todos se manifestaram após o UFC Fortaleza.

Em Fortaleza, Aldo foi preciso. Depois de estudar o primeiro round, ele chegou para o segundo assalto mostrando que estava disposto a garantir a vitória sobre Moicano. Em uma sequencia frenética de socos no rosto do adversário, o triunfo veio por nocaute técnico.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.