Aberto da Austrália divulga cabeças de chave sem Azarenka

Dona de dois títulos do Aberto da Austrália, Victoria Azarenka enfrenta a perspectiva de ter que enfrentar uma das principais tenistas do mundo logo na primeira rodada do torneio depois de não ser apontada como uma das cabeças de chave nesta quarta-feira.

Estadão Conteúdo

14 de janeiro de 2015 | 12h32

A última temporada foi um ano para Azarenka esquecer, com lesões nos pés esquerdo e direito e no joelho direito, o que a levou a disputar apenas 24 partidas em 2014, caindo para a 41ª colocação no ranking da WTA. O Aberto da Austrália tem 32 cabeças de chave, e os responsáveis pelo torneio seguiram estritamente os rankings da ATP e da WTA divulgado na última segunda-feira para determiná-los.

Ex-número 1 do mundo, Azarenka, que venceu o Aberto da Austrália em 2012 e 2013 e chegou a duas quartas de final dos torneios do Grand Slam em 2014, terminou o ano em 32º lugar no ranking. A derrota na primeira rodada do Torneio de Brisbane na semana passada para Karolina Pliskova, depois de desperdiçar dois match points no segundo set, lhe custou a chance de ficar entre as 32 melhores tenistas do mundo.

Número 1 e 2 do mundo, respectivamente, Serena Williams e Maria Sharapova vão estar em lados diferentes da chave. Na Li se aposentou e não vai defender o seu título na Austrália. Dominika Cibulkova, vice-campeã em Melbourne no ano passado, é a cabeça de chave número 11. Já Eugenie Bouchard, que no ano passado foi semifinalista do Aberto da Austrália e de Roland Garros, além de vice-campeã em Wimbledon, será a cabeça de chave número 7.

Na chave masculina, os número 1, 2 e 3 do mundo, respectivamente, Novak Djokovic, Roger Federer e Rafael Nadal, são os primeiros cabeças de chave, à frente do atual campeão, Stan Wawrinka, o quarto cabeça de chave. Kei Nishikori, vice-campeão do US Open, é o cabeça de chave número 5, seguido de Andy Murray, três vezes finalista do Aberto da Austrália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.