Morgan Sette/ Reuters
Morgan Sette/ Reuters

Aberto da Austrália terá até 30 mil espectadores por dia ao longo do torneio

Competição tem início marcado para o dia 8 de fevereiro e contará com nomes como Rafael Nadal, Novak Djokovic e Serena Williams

Redação, Estadão Conteúdo

30 de janeiro de 2021 | 10h50

A organização do Aberto da Austrália confirmou neste sábado que o primeiro Grand Slam da temporada será realizado com a presença de público. Ao todo, serão até 30 mil espectadores por dia ao longo dos oito primeiros dias de competição, que tem início no dia 8 de fevereiro.

Enquanto os funcionários davam os últimos retoques nas quadras e arredores no Melbourne Park, complexo que vai abrigar o torneio, o ministro de Esportes do estado de Victoria, onde fica a cidade de Melbourne, Martin Pakula, disse que o público será de 50% em relação aos anos anteriores, com 390.000 pessoas esperadas ao longo das duas semanas do Grand Slam. Dessa forma, o complexo vai receber metade de sua capacidade máxima.

Serão 30 mil espectadores por dia na primeira semana. Depois, a partir da segunda semana de evento, a capacidade será reduzida para 25 mil pessoas, divididas entre as sessões diurna e noturna, sendo metade em cada um dos períodos.

"A arena Rod Laver terá uma atmosfera incrível, não muito diferente do ambiente que vimos nos torneios dos últimos anos", garantiu Pakula. "Não será o mesmo, mas será o evento internacional mais significante e com público que teremos em todo o mundo após muitos e muitos meses", completou o ministro.

Na sexta-feira, em partidas de exibição na cidade de Adelaide preparatórias para o Aberto da Austrália, cerca de 4 mil torcedores foram assistir presencialmente no Memorial Drive Park Tennis às vitórias do sérvio Novak Djokovic e do espanhol Rafael Nadal. Os jogadores, número 1 e 2 do mundo, respectivamente, comemoraram poder jogar com a presença de público depois de um ano complicado. Outros grandes nomes, como Dominic Thiem, Naomi Osaka e Serena Williams, também estiveram em quadra.

Neste sábado, o último grupo de jogadores em quarentena em Melbourne antes do Aberto da Austrália vai deixar seus quartos de hotéis. Mais de mil jogadores e funcionários passaram por um período de confinamento de duas semanas desde 14 de janeiro, quando o primeiro de 17 voos fretados pela Tennis Australia, entidade responsável pelo torneio, chegou em Melbourne e Adelaide.

Três desses voos continham pessoas infectadas por covid-19, o que significa que 72 tenistas tiveram que entrar em quarentena rígida, sem a possibilidade de deixarem seus quartos para treinar. Outros atletas que não estavam em isolamento foram autorizados a praticar atividades por até cinco horas diárias.

Diretor do Grand Slam australiano, Craig Tiley, assegurou neste sábado que a disputa será justa para todos os jogadores, apesar dos preparativos diferentes. "Tem havido muitas perguntas sobre um torneio just. Alguns jogadores estiveram em quarentena, outros não. Demos nove dias, ao sair da quarentena, para quando eles realmente vão jogar. Não será perfeitamente ideal, mas é tempo suficiente para estarem o mais pronto possível", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.