Agassi elimina Meligeni na França

Fernando Meligeni voltou a fazer história em Roland Garros. Desta vez não foi a semifinal, como em 1999, mas realizou um jogo memorável neste sábado diante de Andre Agassi e mesmo perdendo por 3 a 1 (6/3, 2/6, 6/1 e 6/3) mereceu ser aplaudido de pé por um entusiasmado público na quadra central. A partida, com 2h25 de duração, só terminou depois das 21h30 da noite, já quase escuro e em condições difíceis para os dois tenistas. Com seu conhecido estilo de muita luta e determinação, Meligeni ameaçou a vitória de Andre Agassi.Correu em jogadas incríveis, forçando longas e emocionantes trocas de bolas. Fininho sentiu-se lisonjeado com a homenagem do público. Depois de ter mostrado algumas jogadas cinematográficas a torcida o aplaudiu por quase dois minutos. "Perdi, mas desta vez, fiz tudo o que pude", contou. "Me joguei em todas as bolas, apresentei um belo tênis, não só como espetáculo, mas também como qualidade de jogo e estou feliz." O esforço e o bom tênis de Meligeni fez inclusive a torcida mudar de lado. No começo estava quase toda para o lado do norte-americano, mas depois apoiou o brasileiro. "Este jogo vai ficar na minha memória e achei legal também ter sido elogiado pelo Agassi, que é um dos meus ídolos."Andre Agassi chegou a temer pela derrota. Por diversas vezes teve seu serviço ameaçado com Meligeni conseguindo várias chances de quebra. Mas nos momentos decisivos o tenista norte-americano mostrou por que é um dos melhores do mundo e soube usar todos seus bons recursos para garantir o bom resultado.Na sua entrevista, Agassi admitiu que é sempre muito divertido jogar com Meligeni e confessou ter sentido sua vitória ameaçada. Além disso, reclamou muito das condições, com tempo chuvoso e escuro, dificultando bastante sua atuação. "Sempre gosto muito de jogar com o Meligeni, pois é um tenista que luta pelos pontos e a atmosfera da partida estava inesquecível, com um público vibrante."

Agencia Estado,

02 de junho de 2001 | 15h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.