Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Alexandre Simoni vibra com a estréia

Com 22 anos, na melhor fase da carreira, Alexandre Simoni agarrou com decisão a oportunidade de fazer sua estréia na Copa Davis. Pegou logo um jogo decisivo. Era vida ou morte para o Marrocos e também daria a classificação para o Brasil. Depois de um início um pouco nervoso, o conhecido Simão mostrou seu talento e, ao lado do experiente Jaime Oncins, ajudou o Brasil a garantir a vaga por antecipação para as quartas-de-final. Festejado na equipe por todos os outros integrantes, teve um batismo de fogo na quadra e outro fora dela. Da boca de Gustavo Kuerten ouviu muitos elogios e uma ironia que o deixou sem jeito."Ele (Simoni) dedicou a vitória a Sandy (da dupla Sandy & Júnior)", disse Guga. Simoni ficou vermelho, não assumiu a condição de fã da cantora e preferiu falar de sua estréia, em que demonstrou um bom entrosamento com Jaime Oncins. "Acho que aproveitei bem a chance", afirmou. "É claro que no começo fiquei um pouco nervoso, mas depois me senti mais a vontade e pude mostrar o meu jogo." Entusiasmado com seu desempenho e com a vitória nas duplas, Simoni disse estar pronto para jogar neste domingo, caso o técnico Ricardo Acioly confirme sua intenção de substituir Guga ou Meligeni para as partidas de simples. A estréia de Simoni foi numa condição bem difícil e diferente das realizadas por outros jogadores. Normalmente, Acioly dá chance para os mais novos em jogos em que já não valem pela classificação, como aconteceu, por exemplo, com Francisco Costa, diante da França. Agora, a partida de duplas era decisiva. E Simoni não decepcionou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.