Suzanne Plunkett/Reuters
Suzanne Plunkett/Reuters

Após 10h, jogo mais longo da história do tênis é adiado

Recorde histórico em Wimbledon registra empate no quinto set entre Mahut e Isner em 59 a 59 games

AE, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 18h04

Em jogo que já entrou para a história do tênis de forma assustadora mesmo sem ter acabado nesta quarta-feira, o norte-americano John Isner e o francês Nicolas Mahut travaram uma batalha que foi interrompida por falta de luz natural em Wimbledon, quando o relógio da quadra 18 do Grand Slam inglês marcava dez horas totalizadas de confronto, que já é, disparado, o mais longo de todos os tempos na modalidade.

A partida, que será reiniciada nesta quinta-feira, foi paralisada quando o placar do quinto set marcava inacreditáveis 59 a 59 em games - em Wimbledon o quinto set só é decidido quando há dois games de vantagem no placar para um dos tenistas e não há tie-break. O mais incrível é que o jogo começou apenas na última terça-feira, quando também foi interrompido por falta de luz natural após o término do quarto set. Nesta quarta, Isner e Mahut começaram a jogar já na quinta parcial, que durou nada menos do que 7h06min, depois das 2h54min disputadas no dia anterior.

Antes da primeira interrupção, Isner havia vencido o primeiro set por 6/4, perdido os seguintes por 6/3 e 7/6 (9/7) e triunfado por 7/6 (7/3) na quarta parcial. A quinta parcial, com suas 7h06min, também é o set mais longo de todos os tempos.

Além disso, o confronto épico contou com dupla quebra de recorde de aces por parte dos dois tenistas. Ao todo, foram 192, com 98 de Isner, novo recordista absoluto, e 94 de Mahut. Com isso, os dois superaram a marca do croata Ivo Karlovic, que havia conseguido 78 aces na Copa Davis em 2009, quando perdeu para Radek Stepanek. Com isso, consequentemente esse já é o jogo com mais aces ao total em todos os tempos.

Com o duelo interminável que ainda travam, Isner e Mahut ultrapassaram com folga as 6 horas e 35 minutos da partida entre Arnaud Clement e Fabrice Santoro, que em 2004 fizeram uma batalha no Torneio de Roland Garros no jogo que até esta quarta-feira era o mais longo da história na era profissional do tênis.

Já em relação ao set mais longo em uma partida de simples, a quinta parcial do confronto entre Isner e Mahut bateu, também com extrema folga, o que terminou por 21 a 19 a favor de Andy Roddick sobre o marroquino Younes El Aynaoui, na terceira rodada do Aberto da Austrália de 2003, até então um recorde.

O vencedor do confronto entre Isner e Mahut avançará à terceira rodada de Wimbledon, na qual enfrentará o holandês Thiemo De Bakker. De Bakker também participou de outra batalha nesta quarta. Venceu, em quatro horas e seis minutos, o colombiano Santiago Giraldo por 3 a 2, com parciais de 6/7 (4/7), 6/4, 6/3, 7/5 e 16/14.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.