Christophe Ena/AP
Christophe Ena/AP

Após abandonar Roland Garros, Naomi Osaka desiste de jogar o WTA 500 de Berlim

Anúncio de desistência de tenista japonesa foi feito pela organização do torneio alemão

Redação, Estadão Conteúdo

07 de junho de 2021 | 08h36

Após se retirar de Roland Garros por conta da polêmica gerada por sua recusa em comparecer a uma entrevista coletiva, a tenista japonesa Naomi Osaka desistiu de participar do WTA 500 de Berlim, com início previsto para dia 14. O anúncio foi feito, nesta segunda-feira, pela organização do torneio.

"Fomos notificados de que Naomi Osaka não pode jogar em Berlim. Depois de consultar seu empresário, ela fará uma pausa", disse um porta-voz do torneio alemão, que abre a temporada de grama no circuito internacional e contará com a participação de sete das dez primeiras colocadas no ranking mundial. Entre elas estão a atual número 1 Ashleigh Barty, Aryna Sabalenka (4ª), Sofia Kenin (5ª), Elina Svitolina (6ª), Bianca Andreescu (7ª), Iga Swiatek (9ª) e Karolina Pliskova (10ª).

Osaka, número dois do mundo, deixou Roland Garros na segunda-feira passada após vencer na primeira rodada. A tenista foi multada e advertida pelos responsáveis do Grand Slam francês com medidas mais duras, inclusive sua exclusão dessas competições, caso persistisse na ideia de não realizar coletivas de imprensa em Paris.

A japonesa resolveu a polêmica ao se retirar do torneio, revelando em uma carta que havia passado por "longos períodos de depressão desde o Aberto dos Estados Unidos de 2018", sua primeira vitória em Grand Slam.

A dúvida agora é saber se Osaka vai disputar o torneio de Wimbledon. Seu nome permanece na lista de jogadoras inscritas para o Grand Slam londrino, que começa dia 28. Segundo o jornal 'The Times', a japonesa já está a caminho de Los Angeles, onde mora e treina.

Dona de quatro títulos de Grand Slam, Osaka, de 23 anos, foi campeã do Aberto da Austrália no início da temporada. Ela atuou três vezes em Wimbledon, mas não passou da terceira rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.