Geoff Burke/USA Today Sports
Geoff Burke/USA Today Sports

Após conquista em Miami, Federer diz que deve fazer pausa até Roland Garros

Tenista suíço voltou a vencer Rafael Nadal, a exemplo do ocorrido no Aberto da Austrália

Estadão Conteudo

02 de abril de 2017 | 19h58

Depois de conquistar o título do Masters 1000 de Miami neste domingo em cima de seu principal rival, o suíço Roger Federer admitiu que deve fazer uma pausa na temporada de olho em Roland Garros, o segundo Grand Slam da temporada, que começa no final de maio.


O veterano de 35 anos voltou a competir em altíssimo nível em 2017 depois de ficar de fora das quadras no segundo semestre do ano passado por conta de um problema no joelho. Dos quatro torneios que disputou na atual temporada, venceu três - um deles o Aberto da Austrália.



"Quero estar bem fisicamente porque quando estou me sentindo bem, posso jogar tênis como hoje (domingo)", comentou logo após a vitória sobre Rafael Nadal por 2 sets a 0, em parciais de 6/3 e 6/4. Foi a terceira vitória seguida sobre o espanhol neste ano, a segunda em uma decisão.


"Não tenho mais 24 anos, então as coisas precisam mudar. Provavelmente não jogarei nenhum torneio de saibro, com exceção de Roland Garros. Preciso de um descanso, meu corpo precisa de um repouso. Preciso de tempo para me preparar", completou.


Até Roland Garros haverá quatro torneios da ATP: os Masters 1000 de Monte Carlo, Madri e Roma e o ATP 500 de Barcelona. Como Federer não tem o saibro como seu piso favorito, possui a ideia de fazer uma pausa neste período da temporada.


Dos 18 Grand Slams que conquistou na carreira, 10 foram em quadra rápida (cinco no Aberto da Austrália e cinco no US Open), sete na grama de Wimbledon e apenas um no saibro, em 2009, em Roland Garros. "Quero focar em Roland Garros, depois me preparar para a grama, em Wimbledon, e depois às quadras duras no US Open", finalizou.


LAMENTAÇÕES

Rafael Nadal não tem sorte quando joga em Miami. A derrota para Roger Federer neste domingo foi a quinta final perdida no torneio, um dos poucos Masters 1000 que ele nunca ganhou. Segundo o tenista, a partida foi definida nos detalhes e disse que o diferencial foi o espírito vencedor do suíço, pois "as bolas estiveram a seu favor". O espanhol, no entanto, se mantém esperançoso com o restante da temporada.


Apesar da confiança, Rafael Nadal descartou favoritismo em Roland Garros, Grand Slam que ele faturou nove vezes. O momento, segundo ele, está em se concentrar para as próximas quatro competições que acontecerão antes das disputas em Paris. Diferentemente de Roger Federer, o saibro é o piso favorito de Rafael Nadal. "Muitos pontos serão disputados agora que é a parte mais importante da temporada", comentou o tenista, que perdeu três decisões em 2017.

Tudo o que sabemos sobre:
TênistênisRoger FedererRafael Nadal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.